O Blog das 30 Au Pairs

Pessoas que largaram tudo para se aventurar nesse mundão de Au Pair!

Sorteio

Tudo que você precisa para dar aquele up no seu processo de au pair. Participe do nosso sorteio!

Au Pair na Europa

Você tem mais que 26 anos? Não tem CNH? É casada ou tem filhos? Ou também não tem como comprovar sua experiência com crianças? Talvez fazer o programa de Au Pair na Europa seja uma boa alternativa pra você.

Agências para os Estados Unidos

Tudo sobre diversas agências que fazem o programa de Au Pair para os Estados Unidos.

segunda-feira, julho 22, 2019

Bélgica, aí vou eu!


Oi pessoal, tudo bem?

Aqui estamos de novo em mais um dia 22. Dessa vez é meu último post direto do Brasil. No próximo dia 22 já vou estar na Bélgica (e espero que muito feliz).
Quem me acompanha desde o primeiro post aqui sabe que eu já fui au pair por dois anos nos Estados Unidos e agora, depois de um ano no Brasil, estou indo ser au pair na Bélgica. Mesmo depois de ter sido expulsa de uma host family, e já ter minha carta de elfo livre. Decidi ser um elfo novamente. Queria ser au pair de novo? Não. Quero viajar a Europa toda? Quero! Tenho dinheiro pra sustentar minhas viagens? Também não. Então bora ser um elfo!


Meu hobby é ver o mundo de cima!

Arrumei um tempinho entre essa correria pra vir falar com vocês um pouco dos meus preparativos. Meu processo do visto belga demorou cerca de dois meses. Tive o match com a família em fevereiro, mandei os documentos em maio e a Work Permit ficou pronta no começo de julho. E meu visto em meados de julho. É um processo bem longo e se não morri de nervosismo e ansiedade até agora, não morro mais!

Quando fui pros EUA (minha primeira viagem internacional), levei duas bagagens de 23 kg, uma carry on de 10 kg e uma mochila - que nem pesei, mas tava pesaaaada. E voltei com 6 malas!! Voltei com muita coisa. Por isso, dessa vez, vou apenas com uma grande de 23 kg, a carry on e a mochila. O que entrar, entrou. O que não entrar, vai ficar.

Chego na Bélgica no dia 1 de agosto, mas, antes disso estou indo passar uma semana no Marrocos! No próximo post venho aqui contar minhas aventuras pelas ruas de Marrakesh e dar aquelas dicas preciosas de viagem pra quem pensa em visitar a terra vermelha! Vou acampar no deserto do Sahara e andar de dromedário! Uma semana pra relaxar antes de voltar à aupairidão haha.

Se quiserem acompanhar minhas aventuras em tempo real, me segue lá no instagram @apaulascunha.
Viajo pro Marrocos depois de amanhã! ;)

Até a próxima gente!

Beijos
Share:

quinta-feira, julho 18, 2019

5 DICAS DE COMO APROVEITAR (MUITO) BEM SEU TEPO LIVRE COMO AU PAIR


Parece bobagem, mas é essencial que você preencha seus dias offs com atividades prazerosas. O motivo? Um ano passa até que muuuuuuito rápido e ninguém quer ter aquela sensação de que não aproveitou ou até sentir que foi um ano ‘’perdido’’ (nunca será, convenhamos).
Outro ponto: é bem provável que você terá bastante tempo livre como au pair. Vai depender do ritmo da sua host family e do que vocês combinarem, mas no geral, temos umas boas férias e se você for au pair na Bélgica, por exemplo, a sua carga horária será de no Maximo 20 horas semanais. Sem contar que já moramos no ‘’trabalho’’, então não tem aquela(s) hora(s) perdida(s) no transporte publico/transito para chegar em casa depois de um dia super cansativo, etc.
Então, bora ver o que dá pra fazer?

1-      VIAJAR PRA SEMPRE

Ponto principal de qualquer intercambio (eu acho?).
Pois, planeje bem suas folgas com sua host family com o máximo de antecedência possível (para economizar nas passagens, claro) e vá ser feliz! Em minha opinião, não tem melhor remédio contra a rotina do que uma boa viagem. Seja de ônibus, avião – JUST GO SOMEWHERE!

2-      EAI, MEUS CONSAGRADOS?
Se você é meio antissocial tímida como eu, pode dar uma certa preguiça de fazer amizade. Mas, faça um esforço e você não vai se arrepender! Acho que o combo perfeito do ano de au pair é esse: a independência que adquirimos e as amizades incríveis que fazemos. E tem um tanto de gente interessante pra conhecer, viu?! Tinder, pra quem é de Tinder e grupos no Facebook pra quem é de grupos no Facebook. Não tem coisa melhor do que sentar com um amigo e fazer vários nadas, né?

3-      ESTUDAR

Durante o nosso intercâmbio na Holanda ou na Bélgica, é mandatório estudar. Na Holanda, você pode escolher o curso que você quiser (fotografia, idioma, culinária, etc) e a host family irá pagar para você (desde que o curso seja de no máximo 300€).
Na Bélgica, não tem uma regra explicita de quem vai pagar pelas aulas então é importante que você tenha isso bem resolvido com sua host family para evitar surpresas. E, atenção: na Bélgica é mandatório estudar o idioma da região onde você vai morar (pode ser francês, holandês ou alemão).
De um jeito ou de outro, vai rolar estudos e vai depender de você, fazer disso uma atividade produtiva. Tempo não falta e provavelmente você terá a casa em silencio enquanto as kids estão na escola e os hosts no trabalho, certo? Ótimo momento para estudar em paz!

4-      SHAKE YOUR BODY!
Sim, faz frio e sim academia pode sair cara. Mas esporte faz um bem danado para a nossa cabeça, principalmente para aqueles que estão vivendo em outro país com tantas coisas novas acontecendo ao mesmo tempo. Faça o que der e como der: seja pedalando por aí ou andando pra cima e pra baixo, o importante é buscar se manter saudável. E tem tantos parques lindos para começar a correr e virar uma au pair maratonista...
5-      NIEKSEN IS GOED!
Que isso?
Nieksen em holandês significa nada mais do que: FAZER NADA. 
É filosófico e é tranquilo de se colocar em prática. Tudo o que você precisa fazer é, bom... nada mesmo. Afinal, esse também é seu GAP YEAR e descansar um pouquinho nunca matou ninguém (que eu saiba). Tá curiosa para saber mais sobre o NIEKSEN? Google it hehehe.


Beijos e até o próximo dia 18!


Share:

segunda-feira, julho 15, 2019

Como a gente vive com o salário de Au Pair na Holanda?


340 euros! Este é o pocket money (em português, mesada) que nós Au Pairs recebemos mensalmente aqui nos Países Baixos, vulgo Holanda. E é realmente isso, uma mesada, principalmente se tivermos em mente que o salário mínimo no país é um dos maiores da Europa, cerca de €1.580,00/mês (fonte Eurostat).

E não, não adianta fazer conta e converter €340,00 x 4,80 = R$1.632,00 e dizer que isso não é nada mal, pois afinal são quase dois salários mínimos no Brasil. Vendo por essa perspectiva seria ótimo, porém não enviamos esse dinheiro para lá (salvo exceções). Nós recebemos em euro e pagamos nossas contas em euro, certo?

O que nos salva, é que pelas regras do programa, a família com quem vivemos aqui é responsável por prover-nos além de salário, também hospedagem, alimentação, meio de transporte (que em 99% dos casos é bicicleta e aquele 1% restante pode ser carro ou uma scooter por ex.), plano mensal de celular com internet, seguro-saúde obrigatório, e um curso no valor total de €300,00 (geralmente de idiomas). Então se colocarmos bem na pontinha do lápis, e compararmos nossa mesada + benefícios com uma pessoa que ganhe o salário mínimo e precisa tirar do próprio bolso todas essas despesas, no fim “dá elas por elas”, o que de longe não é nada ruim! Porém, entretanto, contudo e todavia, assim como uma pessoa que recebe um salário mínimo, nossos recursos também são limitados – o que transforma nossa vida num mix de “putz, esse mês não dá” com “quem sabe no mês que vem”.

E claro, somos responsáveis por despesas de transporte (trem, ônibus e afins), alimentação (quando algo diferente das compras da casa), higiene, vestuário e qualquer outra despesa pessoal.
Roupa de marca? Nunca nem vi! Aqui a gente espera a queima de estoque no fim de cada estação para comprar aquela blusinha que antes era €20 e agora é €2,99. Ou então vamos aos bazares de roupas usadas, que por sinal no último eu fiz a feira! Quando saímos, levamos sempre (tá bom, quase sempre) sanduíches na bolsa para só gastar com a cerveja. Ou levamos a garrafinha de água para só gastarmos com a comida. Esperamos para pegar o trem no horário com desconto e andamos a pé para economizar o busão quando a caminhada for de até meia hora, rs  .

Estamos sempre ligadas em promoções e minha carteira cheia de cartões-fidelidade de lojas e supermercados, assim acumulamos pontos e trocamos por produtos. E os grupos de whatsapp bombam com mensagens do tipo “tem promoção de shampoo na Kruidvat, 2 por 1” ou “alguém sabe onde encontro X produto mais barato?” e ainda “o restaurante X tá com vouncher no Groupon!”. Precisamos sempre fazer escolhas, sacrificando algo que queremos muito, por algo que queremos (ou precisamos) ainda mais.

Confesso que nunca fui muito organizada com as minhas finanças no Brasil, porém aqui estou felizmente e obrigatoriamente (mas não facilmente) aprendendo. E não digo isso em tom de soberba não. Falo como quem aprendeu a valorizar o que realmente deve ser valorizado. Também não estou dizendo que agora vou entrar para o grupo dos minimalistas (nada contra!). Mas se pararmos para pensar, estes são hábitos que todos deveríamos ter. Inclusive os holandeses têm (ou a maioria deles)! A fama de holandês ser “mão de vaca” não veio a toa, mesmo para os que são considerados ricos.

Com muito sacrifício e umas doses de paranauês a gente dá um jeitinho – e vive feliz.
E de tantos aprendizados que estou tendo durante esse intercambio, com certeza adquirir estes hábitos é um dos mais importantes.
Detalhes, hábitos vividos hoje com os quais quero me lembrar em situações futuras (e mais favoráveis, espero).

E você, acha que conseguiria adaptar-se a essa realidade? Acha que é possível adotar esses hábitos também no Brasil ou somente no exterior eles funcionam?

Um beijo, com carinho.
Dai 
Share:

quarta-feira, julho 10, 2019

7 coisas que toda au pair está cansada de ouvir

7 horas da manhã, sábado, day off. Crianças gritando pela casa, pais gritando com as crianças, você gritando mentalmente sozinha: “eu não aguento mais!” Se você nem começa o dia e já acorda cansada, vem comigo!


O universo de au pair traz muita coisa boa. Viagens, idiomas, novos amigos, amores, aprendizados, enfim, muitas experiências incríveis. Por outro lado, muito cansaço físico e mental. Começando com uma perguntinha da host family...

1 - Você pode fazer um favor pra mim?

No começo: claro, tranquilo! Afinal, um favor aqui, outro ali, vão valorizar o meu trabalho e me ajudar quando eu precisar de algo. Só o que favor geralmente vira obrigação, fica esquecido no limbo das tarefas e o cansaço só aumenta.

2 - Onde você foi? O que você tava fazendo? Com quem?

Às vezes esse interrogatório da host family serve para puxar assunto e mostrar certo nível de interesse/preocupação com a gente. Mas às vezes é só curiosidade mesmo e julgamento. E, claro, tem hora que isso cansa...

3 - As crianças estão só cansadas...

Eu me canso só de ouvir essa frase que está na ponta da língua de alguns pais. O mau comportamento é motivo de cansaço e não sobre falta de atitude dos pais para conversar e corrigir alguns hábitos nada saudáveis dos filhos.

4 - O que você vai fazer depois do au pair?
,

Ihhh lá vem! A gente pode até ter planos de A à Z, “tudo certo nada resolvido”, prontas ou não para a fase pós-au pair. Só que falar sobre isso com todo mundo que pergunta, inclusive pessoas nem tão próximas a gente, cansa e irrita!

5 - Compra algo aí pra mim, te pago quando voltar!

Queria que todos, especialmente familiares, soubessem como o programa de au pair funciona e que a realidade é bem diferente do que pintam por aí. Não temos dinheiro pra ficar comprando iPhone e esperar sabe-se lá quando o dinheiro aparecer.

6 - Nossa, você sumiu, não vem mais visitar os pobres não?

“Tá sabendo? Filha de fulana tá trabalhando no exterior, cheia do dinheiro agora, nem volta visitar os pobres, coitada da família”. Quem nunca ouviu algo parecido, parabéns. Quem já ouviu, dá um salve!

7 - Fuja disso. Faça aquilo. Não entra nessa. Eu te avisei!


Ah, isso é de au pair para au pair agora. Vejo em alguns grupos várias meninas julgando a decisão de outras com base em suas próprias experiências. A gente devia ser mais acolhedora, alertar sempre que necessário, conversar, ajudar, esclarecer...

Agora a pedrada toda sobre o que é certo e o que é errado: cansa, machuca, abre um caminho de julgamentos errados, inseguranças e ódio. Isso só distancia a gente. Será que precisa mesmo ser assim? Não estamos todas no mesmo barco?

Já dizia Augusto Cury...
“Somos ávidos para julgar e lentos para acolher”.
Espero que com esse post a gente possa ter mais consciência do que traz cansaço em nossos dias e como podemos mudar algo para ter mais alegria e leveza nessa vida doida que é o au pair.

Quer continuar esse papo? Deixe um comentário ou me chama lá no insta @anazanibao

Um beijo e até mês que vem!
Share:

terça-feira, julho 09, 2019

Como Lidar com os Julgamentos

Olá pessoal!

Hoje eu vim falar um pouquinho sobre como lidar com as pessoas julgando a sua vida, o porquê de você fazer as coisas e principalmente aquela culpa que com certeza muitas pessoas vão colocar em você, principalmente depois que você for embora do país.

Eu passei por uma situação complicada algumas semanas atrás, e quando decidi conversar sobre com outra pessoa que também morava fora do país eu ouvi algumas verdades que eu estava precisando, e isso me libertou. Mas antes deixa eu contar um pouquinho da minha história, pra vocês entenderem o porquê de todo esse texto.

Meu sonho sempre foi viver nos Estados Unidos, vir pra estudar, pra fazer um intercâmbio, e adivinha??? TODO MUNDO me dava o maior apoio: "Vai mesmo!! Vai ser muito bom pra você!!", "Nossa que chique!! Vai fazer intercâmbio??? Aproveita enquanto você é jovem!!".
Até ai tudo bem, algumas pessoas você já sabe que dizem isso com falsidade, outras dizem isso do fundo do coração, mas meu amigo, quando você vira as costas, quando você coloca seu pezinho do outro lado do mundo a história vira outra!

Eu infelizmente tive um grande imprevisto, que foi minha mãe entrando em depressão, logo após minha partida, algumas semanas depois ela já estava com todos os sintomas, nada a deixava feliz, doente, etc... Fiquei muito preocupada com ela, principalmente pelo fato de saber que ela estava assim porque EU tinha ido embora, EU tinha me mudado pra longe e ela estava sofrendo por isso.
Mas ai, como se já não bastasse eu estar me sentindo mal e culpada, no meio de uma transição, me adaptando ao país, á host family, às crianças eu tive que ouvir todo o tipo de julgamento que vocês possam imaginar! "Ela foi embora e deixou a mãe dela aqui sozinha e doente, que filha ingrata!" (Tenho um irmão de 18 anos e ele continua na casa da minha mãe, então moram minha mãe, meu pai e meu irmão com ela, fora o restante da família que moram pertinho dela), "Ela não está nem ai pra mãe, foi embora, vive uma vida de rainha lá, acha mesmo que vai se lembrar de onde veio? Olhar pra tras? É isso que os filhos sempre fazem, depois que os criamos eles não estão nem ai!", "Você está matando a sua mãe, foi embora pra quê?? Por causa de dinheiro, ganância é pecado!!", etc etc etc..

Acreditem, cada uma dessas palavras me doía como uma facada, eu me sentia cada dia mais e mais como se eu realmente estivesse matando a minha mãe, como se eu estivesse aqui no país fazendo ela sofrer de propósito!! E vocês pensam que esses julgamentos doídos vinham das pessoas que a gente achava que eram falsas?? NÃO!  Elas vinham de pessoas da minha família, pessoas que eu nunca imaginei que seriam capaz de pensar alguma coisa do tipo sobre mim.

Mas então, conversando com essa pessoa que esteve na mesma situação, ela me disse: "Thaís, as pessoas não querem ver os outros mais felizes e mais realizados do que eles mesmos. Se você fosse embora eles iam falar, se você ficasse eles iam falar. Então, aproveita que você está longe, se desliga de tudo o que te faz mal em seu antigo país, as pessoas tóxicas que te falam o que você não quer ouvir, desligue-se, diga que não tem tempo, que não pode falar agora. Ninguém vai viver por você, ninguém sabe o que você vive no seu dia-a-dia e pode ter certeza que se soubessem iam falar do mesmo jeito!! Então aproiveita a distância e se desliga! Viva seu momento egoísta, porque essas pessoas vão estar no mesmo lugar e com as mesmas vidas que elas tinham quando você as deixou lá, já a sua vida agora, o seu intercâmbio, pode ser que você nunca mais tenha essa oportunidade de novo, então APROVEITE!! E aproveite em seu egoísmo, aporoveite pra você mesma, vá ser feliz!"

E foi exatamente o que eu fiz, hoje sou muito mais feliz, vivo meus momentos intensamente, aproveito cada instante, porque se você se deixar levar pelos julgamentos dos outros, então você vai estar vivendo o que os outros querem que você viva, e não o que te faz feliz!!

Beijinhos !!!




Share:

segunda-feira, julho 08, 2019

APROVEITE O VERÃO!






Oi Gente!

It’s summer time! Pra quem não sabe, as estações do ano no hemisfério norte são ao contrário do Brasil, e estamos finalmente no verão!!! E se tem um conselho que vale a pena dar é: APROVEITE O VERÃO AO MÁXIMO, principalmente e especialmente se você não mora em um dos quatro estados com o clima mais próximo ao que estamos acostumados no Brasil, onde geralmente não neva e os invernos são mais amenos que são Califórnia, Hawaii, Texas e Flórida ( perdão se esqueci de algum outro). 




Mas Bárbara porque tudo isso?? Bom, eu comecei meu ano de extensão em Chicago a mais ou menos um mês e aqui sabemos que o inverno não é brincadeira, inclusive esse último inverno a sensação térmica bateu recorde e estava mais frio do que no Alaska!!! Particularmente eu acho muito injusto somente três meses de verão e o resto do ano inverno, poderia ser um pouco mas balanceado, mas como não sou eu que dito as regras eu criei uma pra mim: aproveite o verão! Seja em Chicago, em NY, em NJ, em qualquer lugar porque um dia ele acaba.
Então nada de ficar finais de semana dormindo, dentro do quarto assistindo série, deixa isso pra quando tiver frio, pra quando estiver chovendo, agora é hora de aproveitar. Pra quem gosta de praia, somos muito abençoados nesse pais que tem praia em todo lugar e mesmo nas partes que não tem mar, mas tem lago, rio, sempre tem alguma área de recreação ao redor pra poder aproveitar. Aqui em Chicago temos uma variedade grande de Lake Beaches que são todas ao redor do Lake Michigan, geralmente elas tem transporte público de fácil acesso, banheiros públicos, lanchonetes e são bem legais de passar o dia, foto de algumas que eu já fui no post.



Também existem as Public Pools e Comunity Pools em praticamente toda cidade desse estados unidos que geralmente tem uma ótima estrutura e é de graça ou paga-se uma taxa pra entrar de tipo $3 que super vale a pena! Outra dica também é os Water Parks que você pode ir de final de semana com os amigos numa roadtrip curtinha porque sempre tem algum ao redor e até mesmo brincar com as kid nos Splash Pads durante o tempo ON.
Pra quem mora em lugares bem frios e que neva muito, outra dica valiosa é: mesmo que não seja na piscina nem na praia, tome banho de sol, saia, vá para algum parque porque isso vai fazer diferença, também aproveite pra garimpar roupas de inverno mais baratas e nas clearances que a gente amaaa!



E é isso pessoal! Beijos de luz do sol 




Bárbara Costa
Share:

sexta-feira, junho 28, 2019

Motivos para ser Au Pair na Itália

Está ainda na dúvidas de qual país escolher no seu programa de Au Pair? 
Se Europa é o seu destino, aqui estão algumas razões para ser Au Pair na Itália.

A comida




Não vou mentir, até porque esse é um dos principais motivos pelo qual eu também fiquei por aqui. 😂 
A culinária é uma espécie de religião para eles, e devo dizer que não temos como discutir. Na Itália existe uma diversidade enorme de tipos de queijos, frios, pães e massas, que nunca havia sonhado antes de vir pra cá. 
Aqui prezam muito pela qualidade dos ingredientes, que devem ser frescos, e do local mais perto de casa possível. Aqui os açougueiros e os vendedores da feira são amigos do coração, e sabem todas as informações sobre cada produto que vendem.
Eu pensava que podia cozinhar alguma coisa antes de vir morar aqui, mas percebi que, segundo eles, nem cozinhar macarrão eu sabia.
Então passo a receita pra vocês.

Como cozinhar macarrão: 
Primeiro, você tem que saber que cada tipo de massa vai com um tipo de molho. Não pense em colocar o pesto com o macarrão parafuso, por exemplo! O pesto vai só com a trenette, que é como um espaguete amassado.
Então eles pesam a quantidade de massa que vão cozinhar por pessoa (100 gramas se for massa seca, 200 gramas para pasta fresca), numa balança de cozinha que todos tem em casa, colocam sal grosso antes de jogar o macarrão, que tem que ser colocado na água já fervendo! Eles respeitam a risca o tempo de cozimento da massa e experimentam algumas vezes porque tem que estar ao dente. Finalmente, para comer massa, só no prato fundo.
Imagino que o Masterchef Itália seja o mais difícil do mundo.

Lugares incríveis e história


Veneza, Roma e Florença não chegam nem ao 1% de todas os lugares maravilhosos que você tem a disposição por aqui, onde uma vida não é o suficiente para se conhecer tudo. Cada pequeno povoado do interior ou na costa é uma joia que vale a pena ser conhecida. Na Itália você conhece todo o tipo de coisa, de construções romanas milenares a cenários naturais incríveis, tem paisagem pra todo o tipo de viajante, tudo regado com muita história!

 Língua


Não tem que não goste do italiano, que para mim, é até mais fácil de aprender do que o espanhol. 
Provavelmente é uma das línguas mais inúteis atualmente também, mas não podemos negar que é linda. Eu adoro poder falar italiano e me comunicar por aqui. 
Pra quem não sabe, existem também muitos sotaques e dialetos diferentes, e com um pouquinho de italiano já dá pra notar.



Temperaturas amenas

A Europa não é sempre sinônimo de frio, e na Itália as temperaturas em geral são bem mais tranquilas de lidar. A não ser que você vá parar no norte, fronteira com a Suíça ou Áustria, você não sofrerá tanto com o frio no inverno. O verão aqui é bem quente também, e a melhor época para festivais, praia e gelato!

Os italianos

São as cerejas do bolo. Não tem como não se divertir com eles, e ao menos alguma vez na vida você vai ficar na dúvida se eles estão discutindo ou brincando. Sim, eles falam alto e mexem sempre as mãos, são frenéticos e meio reclamões. Mas com certeza você não vai encontrar amigos mais sinceros e espontâneos. 


Quer vir pra cá?

O programa de au pair na Itália não é reconhecido oficialmente e por isso, quem não tem a cidadania italiana normalmente tem dois caminhos: ou ficar no período de até 3 meses ou vir com o visto de estudante.

Outra dica é que o país tem uma diferença muito grande entre o norte (mais rico) e o sul (mais bagunçado), uma diferença que se vê claramente no setor administrativo, e nos sistemas de saúde, transporte e educação. Vale a pena considerar essa dica caso você pretenda ficar por mais tempo ou se quer vir tirar a cidadania, por exemplo.

Quer saber mais? 

Siga minha página no Facebook, o Instagram do mundodogelato ou me envie uma mensagem aqui embaixo.

Arrivederci!

Share:

Follow by Email