Ser au pair na França sem falar francês? ~ O Blog das 30 Au Pairs

Pessoas que largaram tudo para se aventurar nesse mundão de Au Pair!

sábado, outubro 20, 2018

Ser au pair na França sem falar francês?


Salut, les filles/garçons,

Este mês, completou 1 (um) ano que eu cheguei à França e, diferente do programa nos Estados Unidos, para ser au pair na terra do croissant não é obrigatória a comprovação de conhecimento na língua oficial, então, por isso, eu pude vir falando um total de 0 (zero) francês. Como este foi (e está sendo), sem dúvida, o maior desafio do meu intercâmbio, resolvi contar sobre como foi a adaptação, como está sendo aprender um idioma do zero morando no país de origem da língua e algumas noções de quanto se pode evoluir durante o intercâmbio nestas condições.

Aí você me diz "ah, Marina, eu fiz cursinho de inglês desde o berçário e fui au pair nos EUA por dois anos, eu me comunico em qualquer lugar do mundo"

Seu inglês deve ser lindo e vai te ajudar mais que o português, mas a provação não se atenua muito não, gata. A deficiência dos franceses em língua estrangeira é mundialmente conhecida e é uma marca desta nação, tanto quando o queijo, o vinho ou a falta de banho. E os poucos que falam têm um sotaque bem carregado, então para você se integrar e ter o mínimo de autonomia, você PRECISA falar francês. 

"E agora? Preciso fazer 3 anos de francês pra ser au pair na França? Mas eu já não terei mais idade!" 

Calma, amiga, venha simbora que vai dar certo! Esta que vos escreve veio com um inglês intermediário, zero francês e a vontade de vencer. O começo é difícil, o meio e o final também, mas o francês vai sair. Em qualquer intercâmbio, nada ensina mais do que as dificuldades que a gente passa. 

"Por quanto tempo durará esta provação em minha vida?" 

A boa notícia é que não vai demorar muito pra você aprender o francês em um nível funcional, a má é que você será au pair e que provação está nas letras miúdas do contrato. 

Para falar em níveis de línguas na Europa, usa-se o QECR (Quadro Europeu Comum de Referência para Línguas), que é basicamente a referência usada para qualquer língua européia de acordo com o grau de dificuldade e fluência para realizações de atividades práticas. 

Para entender melhor, leia a imagem abaixo:


Para te situar, o nível exigido pelas universidades francesas para estudar a maioria das "graduações" e parte dos mestrados na França é o B2, que seria um intermediário avançado. 

Já situados, agora eu explico como é o processo de aprendizagem estando aqui na França. Não preciso falar que a referência é a minha experiência pessoal, né? E, embora eu não represente todo mundo, não sou prodígio da linguística e te digo mais: sou o contrário de prodígio, sempre tive dificuldades com o inglês no Brasil. 

Antes de tudo, é importante falar que você não aprende só por estar morando na França, há fatores que dificultam o processo ou até mesmo impedem (não é raro encontrar quem mora em Paris há anos e ainda está no salut e merci). Vamos aos fatores:

1. Na busca, dê preferência por famílias que falem só francês e, se você não fala nenhum francês, preze que pelo menos as crianças falem francês, já que é com elas que você passa a maior parte do tempo;

2. Não precisa fugir dos brasileiros da sua cidade, mas sempre coloque um gringuinho no meio, já é o suficiente pra você se sentir obrigado a falar francês nos rolês, pelo menos por educação;

3. Faça curso, sim!  É caro? Muito, mas principalmente no início, você precisa de um direcionamento, a gramática no francês é complexa e existem 200 tempos e modos verbais pra aprender, que são importantes mesmo que seu objetivo seja ter um francês mais funcional. Se seu objetivo é a Universidade, não tem como fugir;

4. Aproveite todos os recursos que você tem disponível: leia em francês, assista TV, ouça a rádio e, principalmente, converse sempre que tiver a oportunidade. No início, é muito difícil e é horrível se sentir burra, mas uma hora vai começar a sair e quando acontecer seu francês se desenrolará muito mais rápido.

Pronto, conhecidos esses fatores, vamos para a evolução durante o primeiro ano como au pair:

1-2 meses: você aprende a entender as necessidades das crianças (depois de muito choro e desespero) e a fazer seu pedido no restaurante, bar, loja...

3-4 meses: agora você consegue pedir informações, entender a ideia geral de uma reportagem, ter conversas realmente funcionais, nada muito aprofundado, mas agora você já tem muito mais autonomia e se comunica mesmo se for "eu perder crianças, você saber onde elas está?", eu diria que é um nível A2 segundo aquele quadro que a gente já conversou sobre. 

5-6 meses: você agora pode dar sua opinião sobre coisas e já pode resolver burocracias, como abrir uma conta, sozinha! Já tem conversas com as crianças (as minhas têm entre 4 e 8 anos) só em francês e não é mais difícil vocês se entenderem, mesmo que vez ou outra tenha uma palavra ou expressão nova (principalmente nas brigas entre irmãos). Você pode começar a ler livros para adolescentes em francês e assistir coisas em francês com legenda em francês não será mais tão cansativo. Você agora é B1!

7-12 meses: depois dos 6 meses, você sente que seu francês se desenvolve muito mais rápido e você poderá tirar a legenda em muitos casos e assistir só em francês, ler livros mais densos e fazer amigos em francês. A comunicação com os host parents, com as crianças e com todos os seus colegas será só em francês e, mesmo que no começo seja difícil construir frases oralmente e pronunciar uma ou outra palavra, com o tempo se torna natural, você deve acabar o primeiro ano B2 ou, dependendo daqueles fatores já citados, C1. 

Bem, o processo é longo e não termina no primeiro ano, mas os resultados vêm e você se sentirá muito orgulhosa no fim do programa quando olhar pra traz e ver que evoluiu em 1 ano o que demoraria pelo menos 3 no Brasil. Espero ter dado a confiança que tava faltando pra você fazer seu cadastro no AuPairWorld e procurar sua família francesa! 

Bisous e até a próxima! 

@marinasanri


Share:

0 comentários:

Postar um comentário

Follow by Email