Dois anos ou duas vidas? Minha experiência como Au Pair nos EUA ~ O Blog das 30 Au Pairs

Pessoas que largaram tudo para se aventurar nesse mundão de Au Pair!

sexta-feira, março 22, 2019

Dois anos ou duas vidas? Minha experiência como Au Pair nos EUA

Oi gente, tudo bem?

Hoje vim aqui falar um pouco sobre como foram os meus dois anos de au pair nos Estados Unidos. Já vou adiantar que é MUITO difícil resumir tudo o que aconteceu em apenas um post, então provavelmente não vou conseguir contar exatamente tudo nesse post aqui, quem quiser saber tudo mesmo vai ter que me acompanhar sempre aqui no blog - gosto de contar as coisas aos pouquinhos ;)

Bom, resumindo os meus dois anos de au pair: eu morei por um ano e dois meses em Connecticut, na cidade de Southington. Foi lá que passei a maior parte da minha experiência do au pair, onde fiz minhas melhores amizades, conheci meu ex-namorado, fiz as viagens mais loucas... mesmo sendo uma cidade super pequenininha, eu amava! Decidi estender com a mesma família, mas depois de dois meses de extensão, eles mudaram muito comigo e eu vi que não seria saudável (pra mim) empurrar essa relação por mais 10 meses apenas para "terminar o programa com sucesso". Pedi rematch - a família me expulsou de casa depois disso - e fui tentar a sorte. Deixei meu "boy" em Connecticut e me mudei pra Basking Ridge, New Jersey. E olha... foi a melhor decisão da minha vida. Minha nova host family era maravilhosa. Realmente fui uma irmã mais velha! Vivi um relacionamento meio à distância e deu super certo - mas como já mencionei no post anterior, não estamos mais juntos por questões nossas mesmo :) Terminei meus últimos 10 meses de programa e voltei. E cá estou.

Um resumo bem resumido haha só queria dar uma background pra vocês me conhecerem um pouco mais. Como já tem vários posts sobre o ano de cada menina aqui e normalmente é quase a mesma coisa, eu queria que o foco desse post fosse outro. Então, esse post não vai falar muito sobre minha experiência com minha host family, sobre meu rematch ou expulsão, mas sim minha experiência comigo mesma. Com os meus medos, com os meus desafios, com a minha saudade, meu amadurecimento...

Eu sempre quis ser au pair. Sempre quis ter essa experiência no exterior. E confesso que já fui decidida a ficar dois anos nos Estados Unidos. Mas quando cheguei lá... o choque foi MUITO grande. Queria vir embora no dia seguinte. Dormia pensando que iria embora na semana seguinte e acordava fazendo planos em desistir e pegar o primeiro voo de volta possível. Dois anos? NEM PENSAR. Não aguento mais nem dois segundos. Eu nunca tinha ficado mais que um mês longe da minha família, então a homesick foi gigantesca.

É muito "fácil" falar agora sobre homesick depois que já passou. Já passei pelos dois anos e estou no conforto da minha casa. Mas na época, a cada mês vencido, eu fazia um post no meu instagram cheio de sentimentos e de saudades. O que mais me marcou foi o de 6 meses. Época em que a vontade de voltar já não era tão grande e a vontade de ficar era enorme. Olha que bonitinho o que eu escrevi, tenho certeza que toda au pair vai se identificar com isso - manda praquela amiga que já passou pelos 6 meses ;).

6 meses
22 de novembro. Data que marca a metade do meu ano nos Estados Unidos. O calendário marca hoje, mas o coração já sentiu que está na metade faz tempo. A gente sente, porque ele também está dividido. Duas metades. Uma lá e outra aqui. Se antes a gente contava os meses pra ir embora, agora a gente já acha que tá passando tudo muito rápido. Antes a saudade era apenas do que e de quem ficou pra trás. Agora a saudade já é do que ainda não veio. Saudade de quem ainda está aqui comigo, mas que no futuro não estará. Eu também não estarei. Saudade de tudo o que já vivi aqui e de tudo o que ainda vou viver. Sempre é saudade. Mas agora é saudade de quem a gente conhece a pouquinho tempo e que já parece que faz um tempão. Aqui tudo é intenso. A saudade é intensa, a amizade é intensa e o amor também. Quanto mais o tempo passa, maior é a vontade de se dividir em duas e poder estar em dois lugares ao mesmo tempo. Estar com as pessoas especiais que ficou no Brasil e as outras que eu tornei especiais quando cheguei aqui.


Bom, nessa época eu ainda não tinha passado nem pelo rematch e nem pela expulsão. E nem imaginava que passaria por isso. Mas isso é o que deixa esse programa ainda mais desafiador e maravilhoso! Hoje, tendo passado por tudo o que eu passei, eu não me arrependo nenhum milésimo de segundo. Foram apenas dois anos que mais parecem duas vidas. Eu amadureci MUITO, parece que voltei outra pessoa. Vejo tudo com olhos diferentes e dou mais valor a tudo em minha volta. A gente fica muito grande e tudo ao nosso redor fica tão pequenininho. É uma intensidade deliciosa de se viver!!

Eu prometi a mim mesma que não iria fazer esse post como forma de influenciar nenhuma menina, mas eu não me aguento. Uma vez au pair, sempre au pair haha Hoje em dia trabalho em uma agência de intercâmbio e lido diariamente com meninas querendo ser au pairs e com todos os receios delas e eu sempre digo: VAI! Atropela esse medo e vai. Esquece que você leu que alguém teve uma experiência ruim. Esquece que alguém foi expulso de casa e passou por mal bocados. Eu também fui! E sobrevivi! Muito mais forte e mais feliz! Esquece a experiência dos outros e vai viver a sua! (não desmerecendo os relatos dxs meninxs, afinal, são muito importantes pra fazer a gente manter os pés no chão, mas não podem nos parar!).

Agora que você chegou até o final do texto quero te pedir desculpas se você achou que eu iria contar tim tim por tim tim sobre a minha experiência. Esse não era o meu objetivo. Não quero que você se alimente da minha experiência, mas sim que vá atrás da sua! Sem olhar pra trás e nem pra frente, apenas vá viver! Às vezes a gente tem que dar dois passos pra trás pra depois dar um saltão pra frente! Você vai ter homesick sim, você vai passar por problemas sim, você vai querer desistir um tantão de vezes. Mas vai ser você! E não a sua amiga, ou vizinha ou "a menina do blog". Imagina o tantão de histórias que você vai ter pra contar pros seus netos? :) 

Espero ver no futuro vocês aqui como colaboradoras pra dar conselhos pras próximas gerações de au pairs :)

Vejo vocês mês que vem!
See ya,

Ana

****Meninxs que ainda estão em dúvida sobre ser ou não ser au pair, ou meninxs que já são au pairs mas que querem desistir... pode deixar um comentário aqui e vamos conversar. Ou então em manda mensagem privada no instagram (@apaulascunha). Quero saber sobre o medo de vocês, a experiência de vocês e ajudar... NÃO DEIXE O MEDO TE PARAR.

Share:

2 comentários:

  1. Menina, esse texto que você compartilhou, originalmente postado no seu IG, fez meu coração se contorcer dentro do peito. No meu caso, já voltei faz quase 2 anos, e a saudade é fresca como eu tivesse acabado de entrar no avião. Fico esperando pelo dia em que a saudade vai passar. Seu texto me trouxe lágrimas aos olhos.

    Sim. Uma vez au pair, sempre au pair.

    ResponderExcluir
  2. Fico tão feliz com comentários assim!!!!! Hoje faz 9 meses que eu voltei e eu quero parar de contar. Dói demais. Ao mesmo tempo que parece que foi ontem, às vezes parece que tudo foi um sonho e não vivi nada daquilo.

    Ao mesmo tempo que eu quero que passe, eu não quero que não passe esse sentimento. Esse sentimento é que faz a gente seguir em frente e também dar tanto valor ao que a gente viveu e vive agora :)

    ResponderExcluir

Follow by Email