Dicas de leitura em francês (do A1 ao C2) ~ O Blog das 30 Au Pairs

Pessoas que largaram tudo para se aventurar nesse mundão de Au Pair!

sábado, abril 20, 2019

Dicas de leitura em francês (do A1 ao C2)

Coucou!

Quem aprendeu uma língua estrangeira durante uma experiência de intercâmbio sabe muito bem como o progresso é louco, mas os que aprenderam ainda no Brasil e pretendem aperfeiçoar o idioma sabe quão dura é a caminhada. No entanto, algo que une esses dois tipos de pessoas é a felicidade de conseguir cumprir pequenas tarefas que antes pareciam distantes, como pedir/dar informações, assistir TV, fazer um pedido num restaurante e, claro, ler um livro.

Pensando nisso, nesse mês vamos falar sobre literatura em francês para quem está aprendendo esse idioma tão maravilhoso. Vou dividir pela dificuldade e dando preferência a livros escritos originalmente em francês.

Résultat de recherche d'images pour "livres"

O primeiro livro que li em francês foi Le Petit Prince (O Pequeno Principe), porque clássicos são chamados assim por alguma razão. Quando eu li esse livro, eu tinha terminado o A2 no curso de francês e estava na França há 3 ou 4 meses, mas eu não indicaria este como primeiro contato com a literatura francesa, mesmo que eu já conhecesse a história, houve páginas inteiras que eu não entendia nada, mesmo que os capítulos, em geral, eu conseguisse acompanhar por também já conhecer a história. Talvez se eu tivesse começado a ler antes de me aventurar no romance de Saint-Exupéry, eu pudesse ter aproveitado mais do vocabulário novo que ele trazia e poderia aproveitar mais a experiência de leitura.

Vencido este primeiro desafio, até porque não é um livro muito logo e tem ilustrações no decorrer das páginas, mas decidi recuar um pouco e tentar fazer da leitura em francês algo prazeroso a ponto de incluir isso na minha rotina e transformar textos em francês um hábito - algo que eu recomendo enormemente pras au pairs, já que nosso aprendizado vem muito da comunicação com as crianças no dia a dia e muitas terminam o ano sem saber ler ou escrever em francês, mesmo falando muito bem.

Pensando na leveza que a leitura deveria ter para que eu pudesse inclui-la na minha rotina, eu comecei a procurar por história em quadrinhos, as famosas bandes dessinés. Ao contrário do Brasil, onde só temos acesso aos gibis da Mônica e da Disney, a França tem uma variada gigante de quadrinhos  franceses, belgas, japoneses, estadunidenses... e as bibliotecas públicas estão cheias de opções. Encontrando algo que você gosta, estão garantidos alguns volumes de leitura.

Eu, particularmente, comecei a ler Death Note, um manga muito conhecido que deu origem ao anime e, em seguida, ao filme original Netflix. São 13 volumes, mas é uma leitura muito rápida, e esta é a parte que eu mais gosto dos quadrinhos: tudo acontece muito rápido e geralmente as histórias não são monótonas. Mesmo agora, eu continuo lendo quadrinhos, é muito bom quando você não quer quebrar muito a cabeça e o vocabulário é riquíssimo.

Depois de certo tempo, eu fui cansando de ler e me desinteressando, mas achava que ainda não era capaz de ler um "livro de verdade". Então, comecei a procurar sobre temas que me interessavam na seção infantil da biblioteca, foi quando descobri "La politique expliquée aux enfants", que foi bem raso como conteúdo, mas me apresentou com leveza a política francesa, mas quase não adquiri vocabulário novo, foi quando decidi que eu ja poderia me arriscar a ler obras para leitores mais experientes.

Ja no B2, eu comecei "O mundo de Sofia", foi bem difícil e cansativo, mas valeu a pena no final aquele gostinho de missão cumprida. Enquanto que no C1, eu comecei a finalmente ter confiança de escolher livros de gente grande da biblioteca, muitas obras de sociologia e filosofia - temas que eu gosto. Atualmente, no meu criado-mudo eu tenho uma mistura de todas essas fases: 2 mangas de Yu-gi-oh!, os quadrinhos do livro "O estrangeiro", de Albert Camus, e "Violences et insecurités: fantasmes et realités dans le débat français". 

Para quem esta começando agora: tenha calma! Vá lendo, descobrindo seu nivel de leitura, descobrindo-se como leitor e trabalhando no seu nivel de francês. Não comece por um Tratado, mas não subestime seu francês. Não entender vocabulário é natural e saudável, quer dizer que você está aprendendo. Se você conhece tudo, é porque talvez você devesse procurar uma leitura mais aprofundada sobre o assunto, ou não, às vezes queremos só um passatempo e não é um problema ler algo bobinho para relaxar e desestressar.


Vá na fé que vai dar tudo certo!

Vocês sabem que estou sempre disponível pra tirar dúvidas e ouvir sugestões.

Precisando, deixa um comentário ou vai la no insta @marinasanri

A la prochaine!

bisous
Share:

0 comentários:

Postar um comentário

Follow by Email