Pessoas que largaram tudo para se aventurar nesse mundão de Au Pair!

02 agosto 2020

Aspirante sonhadora

Oi pessoal, meu nome é Bruna, mas vocês podem me chamar de Bru! Vim contar como conheci o Au Pair e como ele tem mudado a minha vida (mesmo ainda no Brasil haha).

Tudo começou no início 2018, eu estava no segundo ano da faculdade de Propaganda e Marketing, e em um relacionamento havia 3 anos. Estava de férias com a minha família em um sítio, quando escutei minha tia conversando com a minha mãe, sobre como a namorada do meu primo tinha terminado com ele para ser babá nos Estados Unidos. 

Ao ouvir isso automaticamente entrei nas redes sociais dela para confirmar a informação e lá estava ela, radiante na escola de treinamento, fiquei animada com o que eu vi e tentei tirar o máximo de informações possíveis da minha tia, mas a única coisa que ela sabia é que a namorada, agora ex do meu primo tinha trancado a faculdade de engenharia civil para ser babá.

Quando as férias terminaram e eu precisei voltar para a faculdade e para o trabalho, durante todo o percurso eu pesquisava sobre "Ser babá nos Estados Unidos" e assistia mil e um vídeos no youtube sobre. Aquela sensação de era isso o que eu queria me dominava cada vez mais.

Depois de pesquisar tudo e dominar o assunto eu precisava decidir algumas coisas na minha vida:

1- Eu queria trancar a faculdade para ir ser au pair?
2- E meu relacionamento? Eu poderia jogar três anos no lixo?
3- Eu tinha os requisitos?

Todas essas perguntas precisavam ser respondidas e eu comecei por uma que automaticamente depois dela seria mais fácil responder as outras. "E meu relacionamento? Eu poderia jogar três anos no lixo?" 

Depois de saber sobre o au pair de cor e salteado era o momento de conversar sobre esse plano com meu namorado. Estudávamos na mesma faculdade, e de sexta-feira depois das aulas íamos pra casa um do outro, foi quando no meio do caminho eu perguntei: " O que você de eu ir fazer intercâmbio nos Estados Unidos?" Ele me olhou um pouco confuso, porque eu nunca tinha comentado sobre o assunto, mas me disse: " Acho legal amor, é uma experiência única, tenho certeza que você vai gostar". Pensei comigo, meio caminho andado, quando ele me perguntou: " Você pretende fazer nas férias da faculdade?" congelei, agora era o momento de terminar a explicação. 

Falando o mais pausado possível eu contei tudo sobre o au pair, e por último comentei que o tempo mínimo era um ano, ele me olhou um pouco confuso e me perguntou: " Então você vai terminar comigo?" pra ser sincera nunca cogitei essa ideia, mas se ele não aceitasse o au pair, era o iria acontecer, então com toda a calma do mundo eu expliquei que não queria terminar o nosso relacionamento, mas que não poderia deixar de viver uma coisa que eu gostaria por causa desse relacionamento. Ele olhou pra mim e me disse " Se é o que você quer fazer, eu te apoio, daremos um jeito"

Eu e meu namorado, Lucas


Naquele momento o único motivo que me faria desistir do au pair estava me apoiando, então era o momento de responder as outras questões, e uma era ligada na outra. "Eu era apta?"

 Não era casada. Check!
Estava dentro do limite de idade. Check!
Inglês. Bam!
Habilitação. Bam!
Dinheiro do processo. Bam!
Experiência com crianças. Bam!


Foi então que eu respondi a pergunta que faltava " Eu queria trancar a faculdade para ser au pair?" Na verdade eu não me importava, ainda faltavam 2 anos para eu me formar, e eu queria viver o au pair pra ontem. Mas com a falta de requisitos, pensei que era o tempo ideal para eu aprender inglês, tirar a minha habilitação e juntar o dinheiro que era necessário. Durante esse processo, eu terminaria a faculdade. Daria certo!

Me inscrevi no curso de inglês, intensivo de 18 meses, tive o apoio do meu namorado que também queria aprender. Comecei a juntar um pouco do que sobrava do salário de estagiária e dividi entre pagar a habilitação e juntar para o processo de au pair.

Durante o processo de conhecer perfeitamente o au pair, comecei seguir novas meninas e participar de todos grupos de au pair no Facebook, assim eu estava cada mais mais dentro do assunto. Meu namorado também, já era praticamente um bro au pair, e foi quando ele me encaminhou um story de uma amiga dele, Isabela Lino, que tinha se tornado au pair  e estava na escola de treinamento.

Finalmente ele estava mais seguro por conhecer uma pessoa que estava participando do processo, o medo de eu acabar como a Morena na Capadócia diminuiu rs. Acompanhei a Isa e comecei a seguir as amigas dela que também eram au pair, uma em si se tornou uma grande amiga minha, e foi uma grande responsável por eu estar online, ela me ajudou em todo o processo, com a entrevista e tudo mais. Eu só tenho a agradecer essas meninas incríveis que compartilharam as experiencias delas comigo. Isa e Van, vocês foram e são amigas maravilhosas, sou grata por ter vocês na minha vida. 

Van, Isa e eu quando nos encontramos em SP assim que elas voltaram dos EUA



No final de 2018 eu tirei a minha habilitação, uma coisa a menos, ufa! Continuei estudando inglês e na faculdade, durante as minhas férias de 2019 era o momento de ter minha experiência com crianças para comprovar minhas horas.

O segundo semestre de de 2019 foi uma loucura total, muitas coisas aconteceram. Eu estava terminando com o meu TCC, estudando inglês, trabalhando e praticando direção, foi quando eu recebi duas mensagens: 1: a Cultural Care informando a promoção de 50% para quem ficasse online até outubro.
2: uma proposta de emprego para me tornar CLT, como comentei, eu era estagiária. 

Nos meus planos, eu iria embora assim que terminasse a faculdade, em janeiro de 2020 era o momento de embarcar. Esse era o momento certo pra ficar online, ainda mais com a promoção de 50%. 

Como comentei em cima, minha amiga Van me ajudou muito durante meu processo para ficar online, e não posso me esquecer da minha professora de inglês, Ana, que foi indicação da Vanessa ( essa menina não existe, gente!). Com muita dedicação fiz minha prova, passei, fiz meus exames e estava online!. Ao mesmo tempo eu começava um emprego novo.

Outras dúvidas pairaram sob minha cabeça, embarcar em janeiro ou ficar um pouco mais e ter mais experiência no serviço, aliás eu teria até setembro para embarcar de acordo com a promoção. 

Os próximos passos dessa estória, eu conto para vocês no meu próximo texto!

Obrigada por terem lido até aqui <3


Share:
Bruna Leite
Futura Au Pair

0 comentários:

Postar um comentário

Follow by Email