Pessoas que largaram tudo para se aventurar nesse mundão de Au Pair!

26 setembro 2020

Não se culpe pelas suas escolhas: O intercâmbio é teu!

Olá pessoas que acompanham o blog, como vocês estão? Nesse dia 26, eu vou dar uma pausa no assunto 'Suíça' porque preciso compartilhar algo que venho presenciando a algum tempo nesse programa: a sensação de estar fazendo o Au Pair de forma errada  (???) e a cobrança e/ou comparação que fazemos ao ver relatos na internet.

COMO ASSIM, LORENA??

Primeiro vamos começar dizendo que isso é um ~intercâmbio~, é uma experiência, e vai passar, como tudo vida (bem clichê, mas é verdade). Esse momento é único teu, e só você sabe tudo que foi necessário para realizar esse sonho, então cabe a VOCÊ decidir como vai desfrutar dele. Não existe um roteiro, não existe um checklist que classifique o teu Au Pair como bom ou ruim baseado nas coisas que você faz. Nossos objetivos são apenas diferentes.
Decidi falar sobre isso porque, como vocês sabem, eu sou Au Pair na Suíça, e recebo uma cobrança enorme, às vezes até de gente que eu nem falava no Brasil, para postar fotos de EuroTrip, festas, passeios em lagos e montanhas, como se o MEU objetivo de estar aqui fosse esse. Outras me perguntam quanto dinheiro eu já economizei porque leu em um post no facebook que uma menina voltou pro Brasil com US$ 15.000,00 e comprou uma casa, um carro, abriu uma empresa e blábláblá.

Coragem né? Porque noção, esse povo não tem.

E eu não vou mentir dizendo que em momento algum isso não me deixou mal. Eu me questionava bastante o que seria o certo a se fazer.
Será que eu devo juntar dinheiro?
Será que eu chuto o balde e compro tudo que sempre sonhei em ter mas que não tinha condições no Brasil?
Será que gasto tudo viajando com as amigas?
Foi então que eu percebi que essa é a MINHA VIDA e só eu sei o que eu devo fazer com ela, se for "certo" ou "errado", a única a lidar com as consequências serei eu. Críticas eu vou receber sempre, independente do que eu faça ou deixe de fazer, porque cada pessoa vai me exigir ações que para elas são necessárias; vão me dizer quais as prioridades eu deveria ter no ponto de vista delas; que eu deveria fazer ABC e não XYZ.
Foi assim quando eu decidi largar a minha super vida de arquiteta (desempregada e infeliz aos 26 anos) para virar babá (leiam isso com um tom de menosprezo, porque foi como eu ouvia todos os dias antes do embarque), e é assim até hoje.

Ser Au Pair não é facil, mas cada um decidiu viver isso por um objetivo maior, e nenhum é mais digno do que o outro. Se é aprender um idioma, viajar, juntar dinheiro, comprar várias roupas na Shein, pouco importa, ele é o TEU sonho.

Quando eu me mudei para a Suíça, meu objetivo era claro: aprender o idioma para conseguir um emprego quando terminar o Au Pair. Todo o resto eu ignorei, mas essa foi uma opção minha. Eu passava o meu tempo livre estudando, não procurei fazer amizades com Brasileiros porque eu sabia que ia cair na tentação de falar só português; não pensava em viajar, porque eu poderia fazer isso depois; eu realmente estava muito focada, meu futuro dependia daquilo.
Enquanto isso, os incovenientes falavam: Como assim tu ainda não foi pra Londres? Por que tu ainda não visitou Paris? Tu vai voltar muito rica né, já viu a cotação? Já comprou o novo IPhone? (Ai meu saco)
Então eu me questionava se eu estava realmente aproveitando a experiência de Au Pair como deveria.                  


Depois de alguns meses, conheci meu namorado, e hoje estamos montando nosso apartamento. Quase todo meu salário vai para a compra da mobília, e até mesmo isso fazia eu me questionar ao me comparar com outra Au Pair que viaja todo fim de semana.
P*rra, eu não deveria me sentir mal por isso, eu estou construindo a minha f*cking casa e isso devia ser motivo de orgulho. A minha amiga quer meter o louco e conhecer toda a Europa, e tá tudo bem, sabe?!
Algumas têm 0,00 na conta (como eu), mas têm memórias; outras fazem hora-extra e economizam pra voltar ao Brasil e abrir o seu próprio negócio...  e mais uma vez, tá tudo bem, você é livre para escolher e não se sinta mal pela escolha feita.
Além disso, existe o fato de eu não ser mais uma jovem de 19 anos sem muitas responsabilidades e com muito tempo para evoluir, aprender, errar e amadurecer. Eu tenho 27 anos, e começar a vida do zero em outro país perto dos 30 requer um comprometimento maior, eu não vim a passeio e muitas de vocês também não... mas outras sim, e cada uma vive o Au Pair da melhor maneira que consegue.

Sempre pensamos no SE.. "ah, mas SE eu tivesse viajado mais; SE eu tivesse economizado; SE eu tivesse aproveitado mais; SE eu me dedicasse mais a aprender a língua; SE eu tivesse tentado um mestrado, SE eu tivesse colocado silicone".
Não se cobre e não se culpe por viver a vida do TEU jeito.

Faz um ano que eu estou na Europa e ainda não fiz mochilão (até porque o corona não deixou), não comprei várias roupas, fui pra duas festas apenas, agora que comecei a fazer amizades, quase não conheço o país que é menor que o Espírito Santo, mas todo dia eu olho meu crescimento pessoal e vejo como a minha vida mudou desde o ano passado, vejo onde eu cheguei através desse intercâmbio e que ninguém pode roubar as minhas conquistas, sejam elas quais forem. 

                

O intercâmbio é teu e você é livre para usufruir das 1001 possibilidades que ele te oferece.

Eu espero que de alguma forma eu tenha conseguido abraçar alguém com esse desabafo.

Um beijo enorme e mês que vem eu volto com mais algumas coisas sobre a Suíça. Se tiverem alguma dúvida, deixem nos comentários que eu posso fazer um post explicando.


Share:
Lorena Egyed
Au Pair na Suiça

0 comentários:

Postar um comentário

Follow by Email