Pessoas que largaram tudo para se aventurar nesse mundão de Au Pair!

14 setembro 2020

REMATCH OU NÃO: EIS A QUESTÃO!

 Oi pessoal!

Hoje vamos falar sobre um assunto polêmico e que nenhuma au pair quer vivenciar mas falar sobre Rematch é preciso.


Fechei o meu primeiro match com uma família em New Jersey, uma kid de 2 anos e meio, a 40 minutos de New York. 



NY - Summer 2017


Os primeiros dias e até diria que os primeiros 3 meses foram bem difíceis, a adaptação, a homesick, a falta de amigos, a língua, costumes, comida... 

O trabalho em si não era desgastante mas uma coisa que com certeza escola de treinamento NENHUMA te prepara é para o desgaste psicológico que é morar com os seus chefes e muitas vezes ter que engolir vários sapos. 

Depois de 5 meses eu conversei com a minha então host mom e expliquei o meu descontentamento com algumas coisas, tais como: não poder usar o carro (que foi prometido no match mas chegando lá foi outra história), trabalhar além das horas permitidas pelo programa (45 semanais ou 10 horas diárias), curfew de 10 pm (que no match havia sido especificado como apenas o primeiro mês e depois seria estendido), o fato de eu não poder carne na casa deles porque eles eram vegetarianos (no match foi acordado que se eu comprasse com o meu dinheiro ok, porém mais uma vez isso não aconteceu), além de diversas outras coisinhas. 


Bom, ela prometeu que iria melhorar as coisas pra mim mas não melhorou, diria até que tudo piorou e foi aí que com 8 meses de programa eu pedi o famoso e temido REMATCH.

Não vou mentir pra vocês não, o medo de não achar uma outra família e voltar sem concluir o que eu havia me proposto foi bem grande. Mas pra minha sorte eu tive mais de 50 famílias interessadas no meu perfil durante essa transição. 


Uma coisas que eu pude notar foi como eu passei a ser mais criteriosa na hora de escolher ou não uma família pra conversar... no primeiro match eu não tinha muita noção de como tudo era e depois de passar 8 meses morando com uma host family eu já sabia muito bem o que não aceitar. 


Passado alguns dias, eis que uma família da Califórnia (a 30 minutos de San Francisco) com 3 kids (8, 11 e 12 anos) entra no meu perfil. Eu já me assustei de cara com a quantidade de crianças mas resolvi conversar apenas por consideração. 

O fato foi que depois da ligação com a host mom eu senti uma energia muito boa vindo daquela família e mesmo precisando de alguém que soubesse nadar (sim galera, até os meus 26 anos eu não sabia nadar) ela se propôs a pagar minhas aulas de natação caso eu aceitasse o match

Teve uma outra família também de New Jersey com apenas 1 kid de 12 anos que gostou muito de mim e aí a dúvida tomou conta do meu ser: ficar onde já conheço pessoas e trabalhar menos ou cruzar o país, ter 3 kids porém morar em um dos estados mais cobiçados pelas Au Pairs? Só tomei minha decisão quando a LCC da Califórnia me ligou *DO NADA* dizendo que eles queriam fechar o match comigo. Ela vendeu o peixe deles tão bem que olha, foi difícil dizer não. 

Então no dia 22 de abril eu me mudava da East Cost para a West Coast. 

Lembro do quanto eu chorei me despedindo da kid, abraçando ela e dizendo o quanto eu a amava e jamais iria me esquecer dela. Nos apegamos e muitoooo a essas criaturinhas. 



On my way to California s2


O que eu posso dizer é que essa família da Califórnia foi tudo que eu precisava pra ter uma boa impressão e ótimas memórias do meu programa de Au Pair. Tudo que eu não tinha com a primeira família eu tive com essa. Realizei muitos sonhos e planos, pude estudar o que eu queria e fiz muitos amigos... Serei eternamente grata pela experiência que eles me proporcionaram, por me incluírem na vida deles não só como a babá dos filhos deles, mas como alguém que está vivendo uma experiência de troca cultural. 


 San Francisco - 2018 


Infelizmente não terminei meu programa com eles, por questões financeiras eles tiveram que abrir mão do programa de au pair, mas o ano que passei lá com certeza foi o melhor de todo o programa de Au Pair. 


Por isso, se você que está lendo está em dúvida sobre pedir ou não rematch, eu digo: analise sua situação, se existem mais contras do que prós, pode ser que seja hora de você tentar uma experiência melhor e acredite: existem famílias maravilhosas por aí, não perfeitas, mas muito boas mesmo. 


Se quiser conversar mais sobre, me chamem no Instagram que eu vou adorar te conhecer.


Beijos e até o mês que vem.



Share:
Jessica Anhalt
Ex Au Pair nos Estados Unidos entre 2017/2019

0 comentários:

Postar um comentário

Follow by Email