Pessoas que largaram tudo para se aventurar nesse mundão de Au Pair!

24 novembro 2020

3 coisas que somente o Au Pair mudou em minha vida

Quando decidi me aventurar nessa vida louca que somente nós sabemos, não apostei todas as cartas que eu tinha. Na minha cabeça era muito claro: vou para os Estados Unidos e meu dever lá será cuidar das crianças, estudar, melhorar o meu inglês e depois voltar para casa e vida que segue.

Mas o que eu não sabia é que o preço disso seria uma transformação da mente e de hábitos também. Talvez eu não tenha parado para pensar naquela época sobre os pormenores dessa trajetória. 


Eu espero que você possa se identificar com o post de hoje, pois listo 3 das coisas que este intercâmbio tem mudado em minha vida. 


1- Maturidade.


Eu definitivamente me considerava uma pessoa muito madura no Brasil. No auge dos meus 18-19 anos eu já tinha minha independência financeira, pois desde o primeiro ano da faculdade me propus a estagiar para ajudar meu pai a pagar meus estudos. Dei duro mesmo, acordava às 6 am e ia até às 11pm, quando era quando eu chegava em casa depois de toda a jornada.


Mas só chegando aqui eu vi que maturidade não tinha a ver com finanças somente. Você precisa ser a “cabeça da casa” muitas vezes quando os pais não estão, precisa tomar decisões que vão garantir a segurança desses serzinhos que cuidamos, enfim, o processo de amadurecimento pessoal também é doloroso mas isso nos molda e nos torna pessoas melhores, com a mente aberta e capaz de lidar com situações que jamais imaginamos. E, claro, isso tudo em outra língua. 


2- Tolerância. 

Eu ainda estou aprendendo a ser mais tolerante, mas vai dizer que cuidar dessas crianças aqui nos Estados Unidos não é um processo e tanto? Afinal, eles não são nossos filhos e muito menos parentes, porém requerem um cuidado todo especial. 


Por vezes, perguntam tanto e nos deixam tão cansados que a cabeça até dói, mas tenha a certeza que após tudo isso vamos ter aprendido a escutar mais e falar menos. Dialogar mais em vez de se impor mais.

3- Conhecimento pessoal.


Sei que é algo muito pessoal de cada um, mas é impossível alguém ter passado pelo Au Pair e não ter saído com o currículo cheio de experiências. Como eu disse, achei que esse intercâmbio se resumiria somente em cuidado com criança, mas aí vi que eu sou a protagonista dessa história. As crianças, a host family e esse programa são o meio para que hoje eu veja que uma nova pessoa tem nascido. 


Já não sou a mesma que veio para este país com N expectativas, sonhos e ideais. Acredito, na verdade, que foi o tempo crucial para que eu deixasse de ser aquela menina, quietinha, tão vergonhosa... para enfim começar a me enxergar como mulher, que tem objetivos e sonhos para alcançar. 


O Au Pair literalmente nos joga num mar aberto. E é assim, dessa forma, que muitas de nós corajosamente encontramos força para nadar e chegar até a costa. Lá então vamos ver que tudo o que fizemos ou passamos, de alguma forma, valeu a pena. 


Desejo sorte para você que está iniciando seu processo. Para aquelas que, assim como eu, estão na labuta que Deus ajude a gente a enfrentar tudo e tirar bom proveito de cada oportunidade.




Share:
Vivian Ferraz
Ex Au Pair em Connecticut e atualmente morando na Virginia (EUA)

4 comentários:

  1. Eu amo ler os seus posts...
    Você é suave e consegue trazer tanta clareza, que eu consigo ver cenas enquanto leio...
    Parabens Vivian e sucesso para nós nessa vida hard de Au Pair.. ♥️

    ResponderExcluir

Follow by Email