Pessoas que largaram tudo para se aventurar nesse mundão de Au Pair!

13 novembro 2020

E agora, José?!

 

Estar no programa e saber que ele tem um "prazo de validade" é de conhecimento de todo(a) Au pair, certo? Mas existe algo que a a gente só para pra pensar sobre quando estamos bem próximo desse prazo e bate aquele desespero de "E agora, José?! O que vou fazer da minha vida?".

Cada um tem uma trajetória diferente desde o "pré" até o "pós" Au pair. O que isso quer dizer? Alguns foram já formados, com pós graduação, vários cursos e especializações... Outros foram em busca de alguma resposta/rumo na vida... Outros decidem estudar apenas quando voltar para o seu país de origem e por aí vai. O que acontece é que a nem eu tenho a resposta para essa pergunta.

Eu decidi escrever um pouco sobre isso esse mês porque é a pergunta que mais ouvi desde que retornei ao Brasil: E agora? O que você vai fazer? Você já se acostumou? A minha resposta é sempre a mesma: "Não sei e não! Eu não me acostumei!" E é real... Todo dia ainda me questiono o que está acontecendo. 

Quando comecei o programa eu já tinha duas faculdades e uma pós graduação. Estudei durante o programa em cursos específicos da minha área (Linguística) e também descobri uma nova paixão pela tecnologia, o que me proporcionou também a oportunidade de estudar programação. Voltei para o Brasil tem 5 meses, estou recolocada no mercado de trabalho, ainda estudando, me especializando em determinadas áreas e tudo mais, mas isso não quer dizer que eu saiba o que está realmente "rolando" nesse momento da minha vida.

É muito difícil você retornar pra onde você viveu a vida inteira, encontrar tudo do mesmo jeito que você deixou quando foi embora e se dar conta de que você não é mais a mesma. Parece que falta espaço pra você em tudo, sabe?! Nos grupos de amigos - mesmo os mais antigos e íntimos -, no mercado de trabalho, nos cantos da sua cidade e muitas vezes até dentro da sua própria casa, com a sua família. A verdade é que você mudou, você vê as coisas de um outro ponto de vista e precisa entender que foi VOCÊ, e não o mundo que mudou. 

Encontrar um ponto de equilíbrio entre o seu "novo eu" e o mesmo mundo que você deixou quando foi é uma tarefa um tanto quanto complicada, mas é também uma nova forma de amadurecimento e maturidade que a experiência de morar exterior te proporciona. É mais um momento para você entender que você vai precisar segurar um pouco seus comentários e comparações nas conversas do dia a dia, que talvez as pessoas te olharão com julgamento acreditando que você se "ache melhor que eles" por ter morado fora... É mais uma chance pra você entender que você passou por experiências que ninguém mais passou da mesma maneira, que isso te gera um olhar diferenciado para muitas coisas e que está tudo bem.

Está tudo bem, ok?! Digo novamente porque é difícil a gente aceitar isso! Falo por mim.

Está tudo bem você ver a vida diferente, querer sempre mais, ter mais e mais planos e ser uma nova pessoa. Não se cobre tanto por não agir como agia antes, por não ter pensamentos que tinha e por se sentir "diferente" diante das pessoas de longas datas... Respeite o seu tempo, seu coração, seus desejos e vontades. Se dê tempo para respirar, refletir e pensar... Voltar para "casa" é apenas mais um recomeço que você teve que dar e você precisa de um tempo para a sua readaptação. Respira fundo, tá?!

Faz parte do seu processo de crescimento e é pra isso que vivemos. Busque sempre a sua melhor versão e não deixe o tempo do outro influenciar no seu próprio tempo!

Share:
Leticia Pereira
Ex Au Pair em Boston e na Califórnia (EUA)

0 comentários:

Postar um comentário

Follow by Email