Pessoas que largaram tudo para se aventurar nesse mundão de Au Pair!

30 dezembro 2020

Como Receber US$250 Por Semana Sendo Au Pair

Seja uma Au Pair Extraordinaire!

Eu sou a Gisella e estou lisonjeada em ser a mais nova autora de todo dia 30 aqui no Blog das 30 Au Pairs! Tenho 33 anos, fui Au Pair nos Estados Unidos entre 2012 e 2014 e a minha experiência foi extraordinária! Eu participei do programa Au Pair Extraordinaire e, como muita gente nem sabe que existem outras opções além do Au Pair convencional, neste post eu vou contar para vocês o que é e como você também pode participar!

A única agência que oferece 2 outras opções além do Au Pair convencional, que é o tradicional que mais de 90% das meninas (e meninos) fazem e que tem o salário de US$195,75 por semana, a agência Au Pair in America, que no Brasil é representada pela Experimento, te oferece também as modalidades EduCare e a Extraordinaire!
(Editado: A agência EurAuPair oferece a modalidade EurAupair Par Expérience Program que é idêntico ao Extraordinaire [me tornei LCC dessa agência, CI no Brasil] e a agência Au Pair 4 Me também oferece o EduCare).

O processo do Extraordinaire é exatamente o mesmo do convencional, os custos e os pré-requisitos são todos iguais, com exceção de uma coisa: ter qualificação na área de educação. Mas calma, se você não é graduada em pedagogia e nem pensa em fazer essa faculdade, existe um outro meio: o de você conseguir comprovar experiência com crianças em instituições de ensino em tempo integral.
Blog 30 Au Pairs
Então, para você que tem graduação na área de educação ou tem como comprovar essas experiências, por quê não aplicar para um programa que vai te pagar mais?!
Mas, mesmo se você se qualifica para ser uma Au Pair Extraordinaire, será que vale mesmo a pena? Porque tudo tem o lado bom e ruim, eu mesma tive uma host family de 5 kids!

Vou aproveitar para me apresentar. Eu sou do interior de São Paulo, fiz Pedagogia e logo depois cursei Comércio Exterior e decidi ser Au Pair nos EUA para aprender inglês para trabalhar nessa nova área, já que havia me desapontado com o salário de professora. No início de 2011, eu pesquisei várias agências e escolhi a Experimento justamente por me qualificar para o Extraordinaire, mas não foi uma escolha fácil porque eu parei para pensar que não são todas as famílias que procuram por uma Au Pair Extraordinaire. Nem toda host family está disposta a desembolsar US$50 dólares a mais toda semana para a Au Pair, ou seja, eu me preocupava em ter o meu perfil limitado, afinal muitas famílias já iriam me descartar só pelo fato do meu perfil estar nessa categoria e isso é ruim...
Mas, a parte boa é que para as host families que estão procurando por apenas meninas dessa categoria, quando eles filtram a busca, são tão poucos os perfis de Extraordinaire, que o seu perfil acaba ficando em destaque, o que significa que as suas chances do seu application ser visto por mais famílias é maior!
E eu penso assim, as famílias que tem condições financeiras de ter uma Au Pair morando na casa deles para cuidar de seus filhos, não são famílias pobres, (bom eu não sou das que pensam que Au Pair é mão de obra barata, mas isso é assunto para outro post!) e as famílias que estão dispostas a terem uma Au Pair com maior qualificação e acha ok ter que pagar a mais por isso, são famílias ou com condições financeiras ainda melhores, ou que no mínimo se importam mais pelos seus filhos, então para mim, essa limitação de host families que o seu perfil sofre, vale sim a pena! E todas as Au Pairs Extraordinaire que eu conheci tiveram experiências positivas, nenhuma delas "caiu em família perigo".

No caso da minha host family, eles optaram por uma Au Pair Extraordinaire pela quantidade de crianças mesmo! Eu fui a primeira Au Pair pelo APIA deles e a primeira brasileira também. Eles eram da Cultural Care antes e tiveram alguns rematches e quando ficaram sabendo dessa modalidade, resolveram tentar e eu posso dizer que nós fomos um match perfeito!
Blog da Gisella
eu com as minhas ex-host kids em Bahamas em março/2013
Voltando a falar sobre o meu processo. Eu me inscrevi na Experimento no dia 4 de julho de 2011 e entreguei o meu application, fiz o iTEP e entrevista de inglês no fim de novembro do mesmo ano. (Detalhe que eu não sabia inglês, decorei todas as perguntas!) Fiquei online em dezembro, no dia do meu aniversário de 24 anos e em janeiro de 2012, três famílias visitaram o meu app, mas eu só fiz Skype com a segunda e foi com a qual fechei o match! (e os meus Skypes sem saber falar inglês também é assunto para outro post!) Eles são do subúrbio de New York e as idades eram 4, 6, 9, 12 e 13 anos.
Em fevereiro de 2012, eu fui tirar o visto e ele foi negado. (Farei também um post sobre isso!) Tentei de novo e deu certo! Embarquei em março, fiz o treinamento, cheguei na casa da host family, no dia do aniversário da host mom, e comecei a viver a minha experiência como uma Au Pair!
Em maio, ainda em 2012, conheci o meu atual marido, mas só aceitei ir em um real date com ele em dezembro daquele ano e em 2013, começamos um namoro sério. Eu não viajei durante o meu primeiro ano, apenas estudei e muito! Mas, como ainda não me considerava estar fluente na língua, renovei o segundo ano com a mesma família e continuei com os meus cursos de inglês, no total fiz 10 cursos nos meus dois anos de Au Pair.
Blog da Gisella
Comecei a viajar para outros estados logo no início de 2013 e em 2014, quando restavam poucos meses para o meu programa terminar, eu troquei meu status de J-1 para o B-2 (turista) e continuei com a família até o fim do ano escolar das kids, em junho. Era para eu ter voltado ao Brasil naquele mesmo mês, mas o país hospedava a Copa do Mundo e eu tive problemas com o voo que comprei. Fui pedida em casamento em julho e claro que disse YES!
Em agosto de 2014, voltei para o Brasil e consegui tirar o visto F-1 e retornei aos EUA para estudar. Comprei um carro com o dinheiro que salvei do Au Pair e consegui um trabalho como nanny pelo care.com para uma família de 4 kids e todos eram bem pequenos, gêmeas recém-nascidas, uma de 3 e um de 6 anos. Com esse trabalho consegui pagar a faculdade, fiz Pedagogia de novo, mas a minha vontade era a de ter feito um mestrado porque eu também já havia feito pós no Brasil, mas como era MUITO caro, eu só consegui pagar uma Community College mesmo (em qual havia feito todos os meus cursos de ESL).
Enquanto estudava, continuei viajando e ao final de 2015, eu terminei de visitar todos os 50 estados! E 2016 foi o ano do meu casamento! Nos casamos no Brasil em novembro e em New York em dezembro, no dia do meu aniversário de 29 anos.
Blog da Gisella
Recebi o meu green card em março de 2017 e me formei na faculdade dois meses depois. Consegui um emprego de professora auxiliar na escola em que fiz estágio, trabalhava lá de manhã e ainda continuava trabalhando para a família do care à tarde, são eles ali na foto:)
Blog da Gisella
Em 2018, já com 30 anos e um ano casada, decidimos ter um baby e hoje, 2020, nosso filho já fez 2 aninhos!
Blog da Gisella
Nós moramos em New Jersey e eu já sou cidadã americana, votei pela primeira vez este ano e foi também este ano que o meu blog pessoal completou 10 anos! Venho acompanhando o Blog das 30 Au Pairs desde 2010, quando eu era apenas uma aspirante a Au Pair e como disse no início do post, estou muito feliz em fazer parte dele e poder contribuir compartilhando as minhas experiências com esse intercâmbio maravilhoso que transformou a minha vida. E transformou também a da minha sogra, que também é ex-Au Pair e até hoje, diz ter sido uma das melhores decisões da sua vida!

Au Pair Extraordinaire ou convencional, pelo APIA, CC, APC, etc, não importa a sua agência ou modalidade, antes de vir ser Au Pair, descubra se este é mesmo o intercâmbio ideal para VOCÊ! Este intercâmbio é o mais barato, o melhor em custo-benefício e uma grande oportunidade para os que sempre sonharam em viver no exterior, viajar para lugares que só viu em filmes, falar fluentemente outro idioma, fazer dinheiro em outra moeda e comprar coisas que são muito caras no Brasil. É um intercâmbio cultural, porém de TRABALHO, se você tem boas condições financeiras e leva uma vida "fácil" no Brasil, se não vier com o pé no chão sabendo que terá muitas responsabilidades, rapidamente irá se frustrar. E você tem que AMAR crianças, não vale só gostar, o seu trabalho será ser babá, então não venha para "aturar" suas horas de trabalho, existem outros intercâmbios que não envolvem cuidados com crianças. São estes os meus principais conselhos para que o seu programa dê certo!

Vocab & Tips:
  • Pedagogia = Childhood Education
- O Google traduz para Pedagogy e essa palavra até existe, mas é um termo somente usado e conhecido por pessoas da área de educação infantil.
  • Pós-graduação = M.B.A / Specialization / Certification / Continued Education
- O Google traduz para Postgraduate, porém isso não está correto. Uma faculdade te dá um Undergraduate diploma e uma especialização ou curso/certificado de extensão em uma área específica, te dá um Graduate diploma.
Uma faculdade técnica te dá um associate degree, o mestrado, um Master's degree e o doutorado, PhD.
P.S. Quando você cursa uma faculdade nos EUA (bachelor), você tem direito a um Major, que é uma formação completa em uma área, e a um Minor, que é uma formação complementar em uma outra área que não precisa estar relacionada com a principal.

Se você gostou da minha história e quer saber mais sobre mim, eu não estou em redes sociais, mas tenho um blog estilo diário onde venho registrando os detalhes da minha jornada nos EUA desde 2010, ou seja, a última década inteira da minha vida está lá nos arquivos! blogdagisella.com
Boa sorte e até o próximo post💗
♡ Fale comigo no Telegram: https://t.me/grupodagisella
Share:
Gisella

6 comentários:

  1. Gisella, eu amei demais o seu post! Por favor, traga a história da sua sogra pra gente!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Vivian, obrigada e sim, me inspirei em você entrevistando a sua irmã e aproveitei que minha sogra veio passar a virada do ano com a gente e já a fiz várias perguntinhas sobre a experiência dela:)

      Excluir
  2. Oi Gi,
    Muito feliz em ler seu primeiro post aqui! Bem vinda ao blog! :)
    O extraordinaire é uma ótima opção, eu nunca tive os requisitos necessários então fiz o normal mesmo. Também adorei reler sobre sua experiência como au pair e rever as fotos com as ex-host kids!
    Com todas as suas histórias de au pair com certeza vamos ter posts muito legais!
    Beijinhos! :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Thamy, fico feliz amiga e obrigada por ter me indicado:)
      Quando me inscrevi na agência, eu achava que só quem tinha facul de pedagogia podia ser extraordinaire, mas não, até você como professora de ballet para crianças se qualificaria se trabalhasse em período integral, mas as suas aulas eram em diferentes lugares, né ^^
      Estou muito ansiosa para os próximos posts, os meus e os seus também, claro!

      Excluir
  3. Giiii... Eu finalmente li, me perdoa mas os livros tem tomado muito a minha atenção hahahah...
    Eu ameiiiii seu BIG post, adorei, amei as fotos, seu filho e tão cute e seu marido tem cara de brasileiro Hahahahah... Adorei vídeo, achei simples e completo... Eu adoro ver a sua vontade em poder ajudar, contar suas experiências servem como aprendizado, sem sombra de dúvidas...
    Você é maravilhosa com toda essa dedicação...
    parabéns e muito sucesso... ♥️

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Scarlett, ah fiquei tão feliz por vc ter tirado um tempinho do seu busy schedule pra vir aqui, muito obrigada! E pelos elogios tb💗 vc é mto querida! Todo mundo diz q o Mike parece brasileiro Lol, é q seus pais são de origem europeia, a mãe da 🇦🇱 e o pai da 🇮🇹! Ansiosa para o seu post dia 16! Bjs

      Excluir