Pessoas que largaram tudo para se aventurar nesse mundão de Au Pair!

29 dezembro 2020

Conhecendo a Host Family

Olá people,

Vou falar mais um pouco como foi meus meses de Au pair - deixando claro que ninguém precisa passar pelo o que eu passei - creio que tudo na vida tem um proposito e por isso estou aqui há 7 anos. 😂

A Host era Stay at home mom (sempre pensei que fosse vantagem) e ela me disse que estaria ali pra me “ajudar”, mas depois vi que ela gostava mesmo era de mandar. Como todas as Au pairs, ficamos responsáveis em cuidar das crianças, dar comida, levar pra escola, dar banho, ajudar com a lição, brincar, levar ao parque. Fazia tudo isso e mais um pouco (como ate apanhar da menina mais nova 😊). A segunda semana já vi como seria, aquela família acolhedora com que conversei online já não era mais acolhedora =) .

Lembro de um jantar, se não me engano na segunda semana, já tinha feito tudo e estava morrendo de fome (até então, estava comendo na hora que ela falava, não tinha uma schedule ainda). Gente, quando me sentei na mesa junto com a "família", a mãe parou de comer e perguntou o que estava fazendo... Meu coração já estava disparado achando que fiz algo errado. E não é que fiz?! Me sentei na mesa com a família pra comer e não fui permitida a comer junto com eles, apenas no meu horário off.

Entre a família e você, existe uma pessoa que está ali para intermediar a relação da família e da Au pair, caso venha a ocorrer um rematch e a Au pair não tenha onde se hospedar. Comentei o ocorrido de apanhar, de comer que não estava conseguindo ficar ali, enfim, de nada adiantou. Minha host e ela viraram super friends.

Já estava na hora de procurar estes grupos no facebook. Me surpreendi pela quantidade de Au pair tem pelo mundo a fora. Encontrei uma brasileira que já estava no segundo ano de Au pair e era de uma agência diferente da minha.

Fui falar pra host que ia pra Chicago com a brasileira. Não foi fácil, até porque a LCC (intermediaria entre au pair e a familia) não queria que eu fizesse amizades com brasileiras por causa do English. Enfim, fui com ela pra Chicago, mas era proibido ela me deixar na porta da casa (entendo, mas lá pra frente vai fazer mais sentido esta história). Depois de um tempo eles permitiram dela me deixar na porta de casa! Até então eu não dirigia ainda. Levava as kids pra escola a pé ou de bicicleta (a bicicleta era tao pequena pra mim 😑).

Eu fiquei nessa dependência deles pra tudo por mais de 3 meses, até me permitirem pegar o carro. Fui conhecendo mais e mais brasileiras nesses meses. E minha situação na casa não melhorava, eu ia levando quieta. Apanhava demais da menina, os pais não falavam muita coisa e eu levava bronca se ficasse emburrada. No final do dia a menina ganhava alguma coisa! Ótimo né?!

Estou aqui no Estados Unidos há mais de 7 anos. Hoje não permito que nenhuma criança venha com violência pra mim, pois nunca usei violência com nenhuma criança. E não tive problemas com nenhuma outra criança com este temperamento. Todos nos temos nossas frustações, até mesmo as kids que vocês possam vir tomar conta futuramente. Eu não tinha liberdade de conversar com a menina, então complicava. E se uma criança bate em alguém, você não vai presentear ela por isso né?! Acontecia muito. Eu apanhava e ela ganhava presente!

Passou os 3 meses e não tive oportunidade de ver nada pra estudar, qualquer coisa que encontrava os horarios não eram acessível pra família. Até que achei algo acessível, suuuuper acessível. Estudar ESL (English Second Language). Meu inglês ainda tinha que melhorar. O curso de Ingles é gratuito, você apenas tem que ter sua presença, você faz o teste pra saber seu nivel de Ingles e pronto, so esperar as aulas comecarem. Normalmente são 2 vezes na semana, 4 horas por noite. Voce vai conhecer gente pelo mundo a fora, outras culturas, super recomendo pra comecar a estudar.

Pra família estava perfeito também, já que o colégio não era tão longe, e eles me davam $2 pra eu colocar gasolina antes de ir! Um coração enorme ... =)

Conto mais um pouquinho do que passei com a família pra vocês no proximo mes. 

See you guys soon...

Share:
Aline Teodoro

0 comentários:

Postar um comentário

Follow by Email