Pessoas que largaram tudo para se aventurar nesse mundão de Au Pair!

13 dezembro 2020

Quanto mais simples, mais significativo


 Era primavera e eu estava dirigindo pelas ruas da cidade de Alamo (Califórnia) com uma amiga que acredita um bocado em astrologia. Vi uma árvore simplesmente linda no caminho e fiz um comentário “Nossa, olha que árvore linda!”. Ela riu e respondeu com um “Bem libriana mesmo… Vê a beleza nas coisas mais simples. Acho isso lindo!”. Fiquei um tanto quanto pensativa depois disso e foi motivo de muita auto reflexão. 

Nunca precisei de grandes coisas para me sentir bem. Uma boa companhia e um pôr do sol é mais do que suficiente pra me preencher.

Durante todo meu intercâmbio busquei aproveitar tudo ao máximo e da melhor maneira possível e foi no meu segundo ano, com a mãe das minhas kids (hoje a minha maior confidente), que aprendi algo que eu levarei pro resto da vida: não existe nada melhor que a nossa própria companhia.

Quando a quarentena iniciou não imaginávamos que iria durar tanto tempo, mas uma das coisas que eu mais apreciei de tudo isso, foi poder passar um extra time com a fofa e compartilhar tantas experiências.


Em uma das nossas conversas, ela me trouxe a mesma fala sobre o meu gosto pelas coisas mais simples… Estar em quarentena, lidar com meus próprios pensamentos, sentimentos, dúvidas e aflições me fez buscar refúgios em atividades que até então, eram consideradas “ok” e passaram a ter novos significados. Andar de bicicleta, sentindo o vento quase te tirar o fôlego de tamanha a sensação de liberdade… Fazer uma hiking de 9mi, sozinha, com música pra te dar um estímulo extra ou sem música, apreciando o som da natureza… Abrir uma garrafa de vinho, sentar no backyard e assistir ao pôr do sol… Ver sua série favorita comendo pipoca, deitar na grama durante a noite, observar as estrelas, dirigir sem rumo pela estrada, ouvir um podcast e refletir sobre suas metas e planos...

Ressignificar. Eu aprendi a ressignificar tudo aquilo que eu gostava de fazer… Passei a criar propósitos para as minhas caminhadas e pedaladas. Passei a realmente viver cada um desses pequenos momentos como se fossem únicos (e foram).


Uma outra coisa que me fez crescer muito, foi aprender a compartilhar a vida com as pessoas que realmente estavam comigo. Encontrar nas pessoas o melhor delas e trazer isso como uma experiência de partilha. Dar o melhor de mim pra quem está dando o melhor de si. E foram com essas pessoas que eu - por muita vezes - deixei de planejar algo mirabolante, para sentar no jardim, ter uma boa conversa, rir, ter conversas profundas e preencher minha alma.


Você que é tá aí, no começo, meio ou fim do seu programa e está quase enlouquecendo com esse momento que o mundo está… Busque ressignificar aquilo que está te incomodando nos momentos que já faz parte da sua rotina. Encontre nas suas pessoas, as que te fazem bem.. Que te aceitem como você é... Que te respeitam. Te garanto que tudo ficará mais leve pra vocês também! 

Share:
Leticia Pereira
Ex Au Pair em Boston e na Califórnia (EUA)

2 comentários:

  1. Oi Lê, realmente, este ano nos deu tempo de sobra para fazermos autorreflexão, eu mesma comecei terapia e consegui analisar tanta coisa do meu passado e hoje, sei dar valor ao SIMPLES. Que legal q a sua ex-host é ainda uma grande amiga:) e eu tb tenho uma amiga BEM "astróloga" q fica relacionando meu comportamento como influência do meu signo, mas eu não sei se acredito mto haha

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Gi, minha fofa é um anjo e não tenho como negar isso. Quem compartilhou meu segundo ano comigo e teve o prazer de conhecê-la sabe do que estou falando. Ela foi peça fundamental nesse meu processo de auto conhecimento e reflexão - juntamente com a minha terapeuta (é claro). Eu acredito muito na astrologia e olha que o negócio é forte! HAHAHAHAH

      Excluir

Follow by Email