Pessoas que largaram tudo para se aventurar nesse mundão de Au Pair!

07 janeiro 2021

Você está exatamente onde deveria!



Um dia desses em uma dessas reflexões e análises internas sobre a vida, me deparei com diversas questões e incertezas. E percebi que, nesse último ano tenho feito isso com mais e mais frequência, e que por muitas vezes a falta de respostas e certezas essas perguntas me geram uma ansiedade gingantesca. Essa soma da falta de respostas plus a falta de certeza resultam em uma tremenda bola de neve, gerando uma angústia e ansiedade sem fim. 

E o que geralmente, eu Bruna (e provavelmente, você em algum momento dessa vida), faz com isso?! Eu não sei quanto à vocês, mas meu primeiro instinto sempre é ignorar e tentar fingir que aquilo não existe.  Porque em grande parte das vezes, temos essa falsa ilusão que os sentimentos ruins, devem ser ignorados, para deixarem de existir. E quase nunca, tentamos entender e explorar as razões por nos sentirmos assim. Como eu, estou numa fase de tentar entender tudo aquilo que for possível, decidi explorar no meu interior a causa de tamanha angústia e desconforto por não ter aquelas respostas. E a  resposta que encontrei me revelou que tenho um medo enorme de não estar no caminho certo! Ao perceber isso, decidi ir mais a fundo e me questionei: "E por que tenho tanto medo de estar no caminho errado? E qual seria o caminho certo?" (visto que o conceito de certo e errado mudam de acordo cada crença, opinião e vivência). E por último, questionei: ''Por que é tão importante saber se estou no caminho certo?''

É bizarro como somos capazes de nos entender, e entender o que sentimos se formos corajosos o suficientes de nos fazermos as perguntas certas e olharmos para os lugares certos. Quais eram as respostas para aquelas perguntas? Por que aquilo me angustiava tanto? Aquilo me corroía tanto pois eu tenho medo do fracasso. Tenho medo de gerar decepções naqueles que colocam expectativas em mim. Como se as expectativas que eu coloco em mim mesma já não fossem o suficiente, eu ainda me importo com as expectativas que o outro tem (ou eu acho que têm) sobre mim. 

Não é  nada fácil viver nessa era, onde as expectativas de grandeza massacram toda a beleza da vulnerabilidade. Ser vulnerável. Errar. Cair. Fracassar. Mas afinal, e se cairmos? E se, ainda que momentaneamente, fracassarmos? A vida acabará ali? Não existirão mais oportunidades de alcançar o êxito em coisas talvez até melhores? A resposta é que não sabemos.  Não estou tentando " romantizar" os erros, os fracassos ou a vulnerabilidade, mas sim, humanizar e normalizar isso.  Afinal, nos não temos as respostas para todas nossas perguntas (nem nunca teremos), mas porque não podemos nos contentar com as respostas que já temos? Onde eu quero chegar com tudo isso? Eu quero que se você que está lendo este texto, assim como eu e várias outras pessoas, vive em angústias, receios, sentindo-se frustrada por não saber todas as respostas para suas questões, ou até mesmo questões alheias. Se você vive cheia de incertezas, por não saber se está ou não, no caminho certo. Abrace tudo isso e aceite o que você tem agora! É o suficiente. Você sabe tudo que precisa saber agora.

Eu gostaria de poder afirmar que você está no caminho certo, para poder aliviar e abafar todas essas inquietações, mas não posso. Mas eu posso te afirmar que você está exatamente onde deveria estar! E que se isso dar certo, ou dar errado, não será permanente. O resultado sempre poderá ser revertido de uma outra maneira. 

Abrace sua vulnerabilidade. Aceite seus medos. Entenda que em algum momento as resposta virão, e se não virem, tudo bem também. Elas virão quando e se tiverem que vir, e não porque a gente quer que elas venham. Isso também não quer dizer que aceitar isso vai aliviar sua angústia, sua ansiedade ou incertezas, mas isso pode te ajudar a respeitar, entender e conviver melhor com esses e os outros sentimentos negativos que possam surgir dentro de você. Está tudo bem não saber o próximo passo. Está tudo bem não ter certeza que está no caminho certo para seus objetivos. Está tudo bem se você se desapontar ou ser desapontado. Está tudo bem.

Estamos juntos ainda que em barcos diferentes ou em direções opostas! Seja mais gentil com você esse ano e nos próximos! Respeite você e todos os seus sentimentos, cicatrizes, vulnerabilidades, inseguranças e tudo aquilo que te tornam você!

Feliz ano novo!! Ainda que você não saiba o que você irá fazer dele.



Share:
Bruna
Au Pair em Boston (EUA)

2 comentários:

  1. Que linda reflexão e concordo totalmente. Cada um tem seu tempo, e esse tempo é necessário, de parar e ter coragem de se fazer várias perguntas. 2020 me trouxe um pouco disso. Mudei muitas coisas em minha vida. E sei que 2021 será ainda melhor. Vamos crescendo e nos conhecendo a cada dia.
    Feliz Ano novo!!

    www.vivendosentimentos.com.br

    ResponderExcluir
  2. Quanta filosofia boa nesse post, Bruna! Deus prepara o nosso caminho, assim, podemos focar no agora! Bjs

    ResponderExcluir

Follow by Email