Pessoas que largaram tudo para se aventurar nesse mundão de Au Pair!

13 abril 2021

Mantendo contato com Host Family

"Oi, oi, ocê de casa!"

Hoje vim compartilhar com vocês uma das coisas que mais ouço sobre o término do programa: MANTER CONTATO COM A HOST FAMILY. Devo ou não? Eu quero? Se sim, COMO?

A gente sabe que a experiência morando fora e tendo uma "segunda família" aqui fora não é fácil e nem sempre realmente encontramos uma real "família" para chamarmos de nossa. Mas quando acontece, sempre fica aquele vazio no peito na hora de ir embora: seja pelo término do programa ou por qualquer outra eventualidade que possa ocorrer durante essa trajetória. E lá no fundo existe aquele questionamento: será que eles sentem a minha falta como eu sinto deles? - e não estou falando apenas das kids, ok?! - Eles pensam em mim e nos nossos momentos como eu estou sempre relembrando? Eu realmente fiz alguma diferenã na vida deles no período que estive lá?!

Algumas dessas perguntas nós nunca saberemos a real resposta - a não ser que eles nos digam. Porém, se você carrega esse sentimento, por que não compartilhar com eles?! "Mas COMO, Letícia?! Eu não sei o que dizer..." Mensagem de texto, email, WhatsApp, facebook, Instagram ou até mesmo o snap chat (muito mais comum aqui fora do que no Brasil). "E o que devo escrever?" Seja sincero na sua fala e seja quem você sempre foi com eles. Se vocês eram próximos, acredito que não há nenhuma dúvida de como iniciar essa conversa, certo?! Se, apesar de próximos, você ainda acha que não sabe o que dizer, seja breve. "Hey, tenho pensado muito em vocês e nos momentos que tivemos juntos... Espero que vocês estejam bem e blá blá blá..."

É quase aquela coisa de "quem vai dar o primeiro passo", sabe?! Às vezes a família sente sua falta sim, mas também não sabe como "reach out to you" e quem sabe você tomando essa iniciativa vocês não estreitam ainda mais essa relação?!

Eu tive duas - ótimas - famílias nos meus dois anos de Au pair. Quando deixei a minha primeira em Boston para vir para a nova na Califórnia, lembro exatamente do sentimento que carregava: eu tinha medo de perder contato com os pais e não acompanhar de "perto" o crescmento e desenvolvimento das minhas kids. Eles eram new borns quando cheguei lá e o único meio de eu manter contato, seria pelos pais. Para a minha sorte, nós sempre fomos bem próximo e NÃO! Nós não nos falamos regularmente. Nos temos nas redes sociais e acompanhamos uns aos outros por lá, com reações à postagens, comentários e tudo mais. Mas ao menos uma vez ao mês trocamos mensagens (ou videos no snap chat), realmente nos atualizando sobre nossas vidas e rotinas. Isso ocorre já faz 3 anos e meio.

Quando deixei a minha segunda família para retornar ao Brasil eu não tive o mesmo sentimento que a primeira vez por motivos de: eu e a mãe das kids somos partners in crime desde o dia 1, então nunca tivemos nenhum problema em demonstrar nenhum tipo de afeto uma à outra. O dia da minha despedida foi o mais difícil, mas antes mesmo de eu ir embora ela já escrevia bilhetinhos e deixava debaixo da porta ou mandava mensagens "aleatórias" durante o dia, dizendo o quanto eu iria fazer falta... No Brasil não foi diferente: mensagens e mais mensagens. Com vários delays devido ao fuso e à vida insana de trabalho que ela tem... Mas sempre presente. Um dos motivos que me trouxe de volta para a tão sonhada Califórnia.

Essa questão do delay nas respostas é outro fator MUITO IMPORTANTE e que devemos levar em consideração: nós, brasileiros, temos sempre esse negócio de responder quase imediatamente não deixarmos as pessoas esperando por respostas por muito tempo. Os americanos não são como nós. Acredito que possa ser cultural também... Eles trabalham MUITO (especialmente nossos host parents) e convenhamos que nós não somos prioridades na agenda deles... Então não pense que eles simplesmente nos ignoraram. Algumas vezes eles nem deram conta de tudo que tinham pra fazer naquele dia. 

Ah, fora as questões linguísticas, né pessoa?! Temos a nossa linda e maravilhosa Língua Portuguesa com uma léxico gigantesco para nos expressarmos... A Língua Inglesa não é tão rica assim (do meu ponto de vista) e isso pode fazer com que você ache as respostas deles meio secas, curtas e grossas. Não sinta que seja algo pessoal.

A minha dica é: se você sente falta, diga. Escreva. Reach out to them! Tenho certeza que se você der o passo inicial vai ficando mais fácil. Uma vez ao mês.. ou a cada dois meses... Quem sabe eles não passam até a te procurarem mais ao saberem que eles também foram/são importantes nessa trajetória que tiveram juntos?! Open your hearts!

Espero que tenham gostado e vejo vocês no mês que vem!

Um beijo e um queijo! Xêro no cangote também! ♥

Share:
Leticia Pereira
Ex Au Pair em Boston e na Califórnia (EUA)

0 comentários:

Postar um comentário

Follow by Email