Pessoas que largaram tudo para se aventurar nesse mundão de Au Pair!

20 maio 2021

A loucura que foi meu processo de Au Pair na pandemia - Parte ll

 Oi! Como vocês estão?

Hoje vim contar o desfecho da minha história de Au pair até chegar aqui nos Estados Unidos.




Se você ainda não viu a parte l, o link está aqui: https://bit.ly/3eYUpHQ

Vamos lá: terminei o último post contando para vocês o Plano México, que foi quando eu propus minha estadia de 14 dias no México para a minha host family e eles aceitaram!

Daí começamos a nos mexer para fazer isso acontecer: eles entram em contato com a agência para ver quais eram as opções, se poderíamos fazer isso ou não. E depois de muita conversa e troca de e-mails a Au Pair Care autorizou, se responsabilizou pelas passagens (do Brasil para o México e do México para os EUA) e mandou uma lista bem grande condições, por exemplo:
 
todos custos em relação a hospedagem e alimentação seriam por nossa conta;
- se o México fechasse a fronteira com os Estados Unidos enquanto eu estivesse lá, eles não pagariam minhas passagens de volta para o Brasil;
- exigiram meu seguro saúde enquanto eu estivesse no México;

E algumas outras coisinhas mais, deixando claro que eles pagariam as passagens e só.

Tudo isso aconteceu em novembro de 2020 e, como minha host family tinha disponibilidade de me esperar, decidimos marcar a viagem para o México para janeiro de 2021, assim eu poderia passar Natal e Ano Novo com a minha família no Brasil.
E para minha surpresa - e alegria - eles decidiram passar as 2 semanas no México comigo e aproveitar para tirar férias.

CONHECI MINHA HOST FAMILY NO MÉXICO? 

Sim! Viajei para Cancún no dia 14 de janeiro e fiquei sozinha em um hostel por 2 dias. Eles chegaram no dia 16 e fui encontrá-los no Airbnb que ele tinham alugado para ficarmos as duas semanas.

Foram 14 dias bem intensos conhecendo a host family fora da rotina, me acostumando com o inglês 24 horas, em um espaço totalmente diferente para todo mundo. Mas também foi bem gostoso! Passeamos um pouco (Covid, né), fomos em restaurantes bem bons, experimentei várias comidas diferentes e sem gastar 1 centavo porque minha host family bancou absolutamente tudo!

FINAL FELIZ, JÁ? 
Só que não. Estava tudo lindo, tudo maravilhoso, mas ainda eu ainda tinha duas preocupações na cabeça todos os dias desde que eu havia chegado lá:
- os Estados Unidos tinham que manter a fronteira com o México aberta até eu entrar! Corria o risco das fronteiras fecharem a qualquer momento? Sim, e eu acompanhava as notícias sobre isso todos os dias de manhã para ter certeza que nada tinha mudado.

- meu teste de Covid tinha que dar negativo! Alguns dias depois que cheguei no México, as companhias aéreas anunciaram que iam começar a pedir teste de Covid para embarque por determinação do governo americano, então meu cuidado em relação a isso foi ainda maior! 

Um dia antes do embarque para os Estados Unidos nada havia mudado em relação a fronteira, check!
E havíamos feito os testes de Covid que chegariam no nosso e-mail 2 horas depois da coleta e adivinhem? 
Teste da minha hosta: negativo. 
Teste do meu host kid: negativo. 
Meu teste: eles não enviaram. ELES NÃO ME MANDARAM O RESULTADO DO TESTE!

Passei o resto do dia ligando no hospital e ninguém me ajudava pra saber o resultado do meu teste, nunca me senti tão agoniada na vida! Até que perto de meia noite um abençoado atendente me ajudou e mandou no meu e-mail o resultado do meu teste que estava pronto há horas, mas tinham esquecido de enviar. Enfim, negativo.

AGORA CHEGOU O FINAL FELIZ, NÉ? AINDA NÃAAAAO

No mesmo dia que fiquei doida atrás do resultado do meu teste, a companhia aérea enviou um comunicado dizendo que corria o risco do voo ser cancelado, porque tinha uma tempestade de neve chegando em Indianapolis.

Sério! Dá pra acreditar?
Depois de todo esse rolê, finalmente chegar no dia de entrar nos Estados Unidos e ficar com medo de não poder embarcar por causa de uma tempestade de neve!

Ficamos acompanhando a evolução da tempestade e os comunicados da companhia aérea, mas ele não cancelaram 👐
Embarcamos, chegamos com muita neve e passei pela imigração tranquilamente com minha host family.

Dirigimos para casa com muita muita muita neve, o caminho que faríamos em 20 minutos demorou 50, porque a tempestade estava muito forte. Mas chegamos!

PELO AMOR DE DEUS, AGORA É O FINAL FELIZ NÉ?

Sim! Depois de toda essa história, finalmente cheguei na casa da minha host family e até agora estou tendo uma experiência maravilhosa com eles.

Durante esse processo me descobri muito mais paciente e resiliente do que achei que eu era e quando lembro dessa história nem acredito que passei por tudo isso.

Mas é aquele clichê: tudo acontece no seu momento, se não aconteceu é porque ainda não estávamos preparadas para aquilo.

E estou muito feliz por estar vivendo tudo isso :) 
See you!
Share:
Shayene Charleaux

0 comentários:

Postar um comentário

Follow by Email