Pessoas que largaram tudo para se aventurar nesse mundão de Au Pair!

30 maio 2021

Como Estudar Inglês Para O Processo de Au Pair

Como saber se o seu Inglês dá?

Eu sou a Gisella e este é mais um post do dia 30 e o meu 6º post aqui do Blog das 30 Au Pairs! Se você ainda não conferiu os meus posts anteriores, os links estão lá no fim do post:)

Quando eu vim ser Au Pair, eu tinha todos os pré-requisitos, menos o nível de inglês exigido pelas agências, que é o intermediário. Na verdade, nem o básico eu tinha, já que eu nunca havia estudado inglês antes, a não ser as aulas de inglês do ensino público, mas já havia se passado 5 anos desde que tinha terminado o colegial e eu não tive nenhuma matéria de inglês na faculdade (pedagogia) e foi por estar cursando comércio exterior que eu decidi vir ser Au Pair e justamente porque precisava aprender o bendito inglês.

Eu tinha muito medo, achava muito difícil de aprender, olhava para as palavras e como muitas vezes você não lê como se escreve, eu achava que nunca iria conseguir aprender. Eu até comecei umas aulas particulares, mas eu não conseguia conciliar os 3 empregos, faculdade à noite e pós aos sábados, além dessas aulas serem MUITO caras, eu resolvi parar porque não senti que estava aprendendo nada e precisava do dinheiro para pagar a agência. Então, decidi que iria DECORAR TODO O PROCESSO!

Na minha época, existiam muitos, mas muitos mesmo, blogs de Au Pairs (90% de futuras Au Pairs - a maioria deixava de postar depois que chegavam nos EUA), mas nesses blogs eu fui juntando como num quebra-cabeças as perguntas que as entrevistas das agências faziam, anotei todas de todos os blogs que seguia, respondi elas com as minhas palavras, traduzi para o inglês no Google, pedi para o meu ex-namorado corrigir para mim e pronto, imprimi tudo e comecei a memorizar essas perguntas na minha hora de almoço todo santo dia. Fiz a mesma coisa com as respostas do teste de inglês da agência que eu vim, o iTEP da APIA.

Eu fiz a inscrição e comecei a preencher meu application em julho e só fiz a entrevista e teste de inglês da agência em novembro, mas eu vinha decorando essas perguntas e respostas desde fevereiro, ou seja, foram 9 meses de muito preparo e por muito tempo eu achei que consegui passar na entrevista e teste porque tinha uma ótima memória, mas na verdade, eu estava treinando e, de certa forma, aprendendo inglês. Eu não aprendi gramática, não sabia as formas de verbos no passado, como colocá-los no futuro e não entendia nada sobre os modais e auxiliares como "do, does, did, would, could" etc, mas pelo menos eu consegui aprender muito vocabulário e o do mundo Au Pairiano e infantil.

Hoje, existe um site, esse: https://quizlet.com/br/558200855/au-pair-entrevista-cultural-care-flash-cards/ onde você pode realmente estudar e praticar todas as 60 possíveis perguntas! Uma ótima forma de se preparar e bem parecido como eu fiz em 2011.

Claro que só decorar não é o suficiente, já que você vai precisar conversar com as famílias para fechar o seu match. Eu contei com a ajuda do meu ex-namorado para conseguir manter a conversa com a minha host family pelo Skype, ele traduzia para mim o que eles me falavam e até o que falava para eles (sem eles perceberem que estávamos fazendo isso). Deu certo? Deu. Eu cheguei nos EUA sem saber falar inglês, só com o vocabulário que adquiri durante 1 ano. (Esse parênteses é para lembrar que quem ainda não leu meu post sobre visto - o meu foi negado na primeira tentativa e parte porque não consegui me comunicar bem na entrevista que na maioria das vezes é feita em inglês para as Au Pairs).

Quando eu cheguei na família, o shock foi enorme, mais deles comigo do que eu com eles porque eles não imaginavam que o meu inglês era tão precário. Eles me falaram depois de uns anos que os hosts só não pediram rematch logo na primeira semana porque eles haviam passado por vários rematches antes de mim e estavam sem esperanças com o programa, e como eu dirigia muito bem e tinha MUITA experiência com crianças (por ser professora), resolveram me dar a chance.

Era uma família com 5 kids, todos em idade escolar, o que me ajudou muito a me forçar em ter que falar com eles do jeito que eu conseguia, sem coerência, com muita mímica, com MUITOS ERROS, eles riam muito de mim, o tempo todo, mas eu não me sentia ofendida porque aprendia até com eles tirando sarro na minha cara, aquele era o meu maior objetivo com o programa, então segui firme e forte.

Dois meses depois da minha chegada, o curso de inglês começou e eu recebi até o prêmio de melhor aluna de tanto que me dediquei e me esforcei durante todo o "semestre" (4 meses, de maio à agosto). Terminei um nível (o 3) do curso completando quase meio ano do meu intercâmbio e já conseguia conversar tranquilamente em inglês. Eu consegui alcançar o nível de inglês da maioria das Au Pairs que chegaram comigo e que ainda não haviam estudado porque quase ninguém estudou no Summer, elas esperaram pelo Fall, que é de setembro à dezembro. (e tem o Spring, de janeiro à abril)

Era aquele o nível de inglês que eu recomendo que toda Au Pair tenha já na inscrição da agência e que eu só fui ter na metade do meu programa. Então, como saber se o seu inglês dá? Se você consegue assistir um vídeo de qualquer assunto de algum canal no YouTube americano e entender pelo menos o contexto; se consegue entender o contexto de uma música ao escutar acompanhando a letra; se consegue falar sobre você, sobre coisas que você fez no seu dia e o que vai fazer no dia seguinte; e se consegue escrever essas coisas.

Na minha época, não tinha canais de YouTube ensinando inglês de graça, então aproveitem esse recurso! Assistam desenhos no Netflix, principalmente os com musiquinhas como Cocomelon, por exemplo. Coloque todas as funções do seu celular e computador para o inglês. Converse com nativos em aplicativos como o HelloTalk. E fique à vontade para tirar as suas dúvidas e treinar comigo no meu grupo do Telegram:)

Eu fiz 10 cursos de inglês nos meus 2 anos de Au Pair porque esse era o meu foco. E logo depois, fiz o TESOL, um curso para ser professora de inglês e ainda, a faculdade de pedagogia nos EUA. Hoje, sou cidadã americana e por morar aqui há quase 1 década, em muitas situações o inglês é mais natural para mim do que o próprio português. Logo eu, que achava lá atrás que nunca iria conseguir aprender essa língua, que era muito chata e difícil.

Se conseguir a fluência no inglês é a sua meta, não duvide de si mesma. Acredite e encontre o melhor meio de estudar para realizar esse objetivo. Estudar inglês nos dias de hoje, não significa se matricular em uma escola de idiomas e pagar caro para ter aulas 2x por semana, mas sim, se envolver com a língua, a internet está aqui ao nosso favor! Pense em inglês, faça de conta que o seu intercâmbio já começou antes mesmo de se inscrever na agência!

Só não venha sem saber quase nada como eu vim porque além de você correr o risco de entrar em rematch assim que chegar e não conseguir encontrar outra família e ter que voltar para o Brasil, pode acontecer alguma situação de emergência que você precise se expressar para conseguir se sair dela. E mais, você pode passar por "perrengues" como eu passei, perdendo um valor de dinheiro muito alto no banco porque não entendi nada ao assinar o contrato quando abri minha conta, eu conto essa história melhor no vídeo abaixo.

O que você não pode é ter medo. Se você está com a idade limite para o Au Pair e ainda não chegou no nível intermediário, venha com o básico, mas seja honesta com a sua família e procure ajuda no seu começo. Eu fiz o famoso "fake it till you make it" e deu certo comigo, mas não recomendo. Let's all study together:)

Se você gostou da minha história e quer saber mais sobre mim, eu não estou em redes sociais, mas tenho um blog estilo diário onde venho registrando os detalhes da minha jornada nos EUA desde 2010, ou seja, a última década inteira da minha vida está lá nos arquivos! blogdagisella.com

Boa sorte, ou melhor, good luck e até o próximo post💗
Share:
Gisella

0 comentários:

Postar um comentário