Pessoas que largaram tudo para se aventurar nesse mundão de Au Pair!

01 junho 2021

As incertezas da pandemia e como eu lido com o intercâmbio de Au Pair sendo adiado

Oi, gente! Esse é meu primeiro post aqui no blog das 30 Au Pairs e estou muito feliz por ter a oportunidade de escrever e compartilhar meu processo de intercâmbio de Au Pair nos Estados Unidos! Antes de começar o texto irei me apresentar brevemente a vocês. Me chamo Ingrid, tenho 24 anos de idade, sou de Taboão da Serra - SP e sou bacharel em Secretariado Executivo desde 2017. Ao longo da minha carreira profissional eu encontrei muita dificuldade em conseguir empregos em empresas grandes aqui no Brasil e principalmente em conseguir empregos na minha área de formação.

 

Para vocês terem uma ideia, eu tive que aceitar uma oferta de emprego para trabalhar no caixa de uma loja de shopping quando eu já estava formada, pois eu não conseguia emprego nenhum e precisava de dinheiro! E o motivo? Eu não sou fluente em inglês! Estagiei em empresas grandes na época de faculdade, mas mesmo assim a falta do idioma me impedia de conseguir qualquer emprego na minha área. Em abril de 2019 comecei um emprego de assistente administrativo que não era o que eu esperava, então acabei novamente me frustrando em relação à vida profissional e foi aí que decidi de verdade, levasse o tempo que fosse levar e custando o que custasse, que eu iria fazer algum intercâmbio. Meu novo objetivo era ficar neste emprego até ter dinheiro para fazer o Au Pair, e assim foi.

 

Conheci o Au Pair pela internet mesmo, por uma menina que foi para a Itália, mas comecei o processo de verdade quando descobri que uma amiga minha foi Au Pair nos Estados Unidos e ela me encorajou a ir. Desde então, estou no processo de Au Pair desde dezembro de 2019 pela APIA. Estamos em 1 de junho de 2021 e eu ainda estou no processo (estou na etapa de achar famílias, fiquei online em abril deste ano), assim como muitas meninas e meninos (os "male pair"). E sei que existem muitas outras pessoas nessa situação, pois li diversos relatos pelos grupos, onde todos demonstram preocupações, ansiedade e vi até mesmo desistências. A grande pergunta que fica é: como lidar com as incertezas do processo de Au Pair na pandemia?

 

Os agendamentos de vistos estão sendo cancelados, estamos no meio de um travel ban onde não tem como entrar diretamente nos EUA sem fazer quarentena em outro país liberado e a única possibilidade no momento é achar uma família NIE (national interest exception – quando a família trabalha na linha de frente do covid ou quando a host kid é special needs), mas não tem tantas disponíveis e as poucas que têm, são hiper disputadas. Ou a outra opção que temos, é a que fomos obrigadas(os) a estar: esperar aparecer uma família (coisa que está difícil, porque o fluxo está muito ruim) que tenha interesse em um match e torcer para o consulado reabrir o mais rápido possível para não perdermos o match.

 

O que mais me ajudou neste momento todo foi viver um dia de cada vez. Parece ser muito fácil falar, mas decidi focar no que eu tenho agora e não no que eu não tenho. Não sei para qual estado vou, se minha host family vai ser legal ou se vou conseguir viajar e comprar tudo o que eu quero. Ao mesmo tempo que eu tenho aqui e agora minha família, amigos, planejamento financeiro (ainda estou no mesmo emprego de 2019!), comidas brasileiras disponíveis em qualquer esquina e tenho também a possibilidade de ter tempo para melhorar meu application, como recentemente comecei natação para aprender a nadar e incluir essa nova habilidade.

 

Vou abrir um parênteses aqui que: “corpo são, mente sã”, então faça exercícios e se alimente bem. Aproveite que a gente tem acesso a saúde de forma gratuita aqui no Brasil então faça exames, veja o que pode ser melhorado e se cuida. Todas essas coisas liberam dopamina que é um hormônio que ajuda com a felicidade e bem-estar (palavras da minha médica!), certeza de que você vai se sentir muito melhor depois de começar a se cuidar.

 

Aproveite seus pais e familiares, faça coisas em casa com eles, se precisar sair, aproveite o tempo no mercado ou o que for, pois esses momentos são valiosos porque você vai ficar de 1 a 2 anos nos EUA e com certeza vai sentir saudades. Na mesma linha de pensamento, converse mais com seus amigos e se você seguir todas as normas de prevenção do covid, saia com eles também. Vá ao parque, shopping ou qualquer outro rolê permitido (aqui em SP alguns lugares abriram, tipo parques, mas evite sair muito!). A ideia dessa dica é criar memórias e aproveitar o tempo que você tem com as pessoas que você gosta.

 

Também aproveite o tempo para se planejar melhor financeiramente. Se eu tivesse ido para o Au Pair quando eu queria ter ido (em junho de 2020), eu não teria conseguido levar meus gatos no veterinário para conferir se estão bem, nem ter começado natação que é algo que fiz pela minha saúde, nem ter comprado remédio para tratar coisas antes do intercâmbio (tipo acne que eu tive) ou até mesmo ter comprado coisas para casa que precisavam naquele momento. Então separe o dinheiro do intercâmbio e se você estiver trabalhando, usa o que sobrar para fazer um investimento, para ajudar em casa ou para comprar algo que você queira muito. Se você não estiver trabalhando, aproveite para fazer uma renda extra ou procurar algo para fazer um pé de meia. Ou se você não precisa, não consegue achar emprego ou não quer trabalhar, estude, veja muito conteúdo para o Au Pair e se prepare com o máximo de informações possíveis para ir preparada(o)!

 

Além do mais, é melhor esperar a hora certa, pois a família certa vai aparecer quando tiver que aparecer, tente não pensar muito em prazos, mesmo que você esteja no limite de idade, existem outros países onde você consegue fazer Au Pair caso não dê tempo de ir para os EUA. Se permita ter qualidade de vida neste momento e acredite, você não está sozinha(o), estamos juntos nessa!

 

Se você gostou do meu post e quiser me acompanhar, estou nas redes sociais Instagram @ingridviaja e Youtube "Ingrid Viaja" onde compartilho todas as atualizações do meu processo de Au Pair e também de viagens.

 

Obrigada por ter lido até aqui e até o próximo post!

Share:
Ingrid Viaja

0 comentários:

Postar um comentário